Esculturas do Rio de Mãos Dadas vão a leilão | Diário do Porto


Solidariedade

Esculturas do Rio de Mãos Dadas vão a leilão

Valor arrecadado com a venda das obras de arte será destinado a dez entidades filantrópicas. Leilão é uma iniciativa do Movimento Rio de Mãos Dadas

25 de novembro de 2021

Leilão de esculturas do Movimento Rio de Mãos Dadas, ação do Sistema Fecomércio RJ, beneficiará dez instituições filantrópicas (Divulgação/Senac RJ)

Compartilhe essa notícia:


O Movimento Rio de Mãos Dadas, iniciativa do Sistema Fecomércio RJ (Sesc e Senac RJ) que vem mobilizando entidades públicas, privadas e a sociedade para a retomada econômica do Rio, chega a uma nova etapa com o leilão das dez esculturas “As Mãos Gigantes” que simbolizam a ação. As peças estiveram expostas em mais de 50 pontos da capital e interior do Estado e serão leiloadas em 2 de dezembro. O valor arrecadado será destinado a dez instituições filantrópicas que atuam em diferentes âmbitos sociais.

O lance inicial de cada escultura está fixado em R$ 2 mil e os participantes poderão realizar suas ofertas virtuais ou presenciais durante o leilão, que terá a atriz Marisa Orth como mestre de cerimônias. Para realizar os lances remotamente, é preciso cadastrar-se previamente na plataforma virtual do leilão. O edital que contém todas as diretrizes está disponível em www.sescrio.org.br, na seção Portal de Compras.

“Este leilão culmina o trabalho realizado ao longo de um ano, que incluiu uma série de iniciativas, desde mentorias gratuitas para empresários, projetos de empoderamento feminino e combate ao trabalho infantil e doações de alimentos. Cada iniciativa deu corpo a um grande projeto de mobilização da sociedade e entes públicos e privados para tornar 2021 um ano de retomada e mostrar que juntos, e de mãos dadas, somos capazes de conquistas muito maiores. Além de símbolo dessa união, o valor agora arrecadado com a venda das esculturas será um aporte importante para instituições que trabalham combatendo a vulnerabilidade social e ajudando a tornar nossa sociedade mais justa e igualitária”, celebra Antonio Florencio de Queiroz Junior, presidente do Sistema Fecomércio RJ.

As esculturas de mais de dois metros de altura, que remetem a pares de mãos unidas, representam a superação das dificuldades de 2020 e a esperança de retomada da normalidade em 2021. Confeccionadas em fibra de vidro, as mãos foram trabalhadas por dez artistas: São elas:

A Vida Presente (Cláudia Lyrio); Fuga e Fúria (Yhuri Cruz); Cultura da Borda na Palma da Mão (Márcia Falcão); Cuida (Agrade Camíz-Camila); Nas Nossas Mãos (Maria Amélia Diegues); Manifesto Pós-Vandalismo (Igor Nunes; Feito com Carinho (Loo Stavale); Hinterlândia é o Centro (Robnei Bonifácio); Fluxos (Bruno Awful) e Coadunação (Mario Band´s).


LEIA TAMBÉM:

Conferência Rio2030 quer Baía de Guanabara despoluída

Porto terá mais um grande painel de grafitti

Cassinos: Câmara pode aprovar volta ainda neste ano

 


/