Encontrão de Poetas: do Porto para a Flip | Diário do Porto


Cultura e Lazer

Encontrão de Poetas: do Porto para a Flip

O Encontrão de Poetas sairá do Morro da Conceição, no bairro da Saúde, Região Portuária, para ganhar o mundo na Feira Literária Internacional de Paraty, o maior evento literário do Rio de Janeiro. Poetas e leitores estarão reunidos no dia 27 de julho, a partir das 21h, para lançar as plaquetes do projeto Coopoesia, que tem o objetivo de promover diálogos entre coletivos de poesia no Rio de Janeiro.

24 de julho de 2018



Compartilhe essa notícia:


O Encontrão de Poetas sairá do Morro da Conceição, no bairro da Saúde, Região Portuária, para ganhar o mundo na Feira Literária Internacional de Paraty, o maior evento de literatura do Estado do Rio de Janeiro. Poetas e leitores estarão reunidos no dia 27 de julho, a partir das 21h, para lançar as plaquetes do projeto Coopoesia, que tem o objetivo de promover diálogos entre coletivos de poesia no Rio. A noite de leitura e performance contará com participação das poetas Ana Carolina Assis, integrante da Oficina Experimental de Poesia, Estela Rosa e Taís Bravo, que tocam o projeto ‘Mulheres que Escrevem’, entre outros convidados.

Durante o ano, o Encontrão de Poetas é realizado no Morro da Conceição pelo coletivo A Mesa. Parceiras na Flip desde 2014, a Libre (Liga Brasileira de Editoras) e a Nuvem de Livros enfatizarão nos debates desta edição a importância da formação de novos leitores para estimular o pensamento crítico e evitar a alienação. A Flip será entre 25 e 29 de julho.

A Casa Libre & Nuvem de Livros funcionará de 26 a 30 de julho, das 11h às 22h, na Rua da Lapa 8, Centro Histórico de Paraty.

Lucas Matos, um dos editores do blog Bliss não tem bis, no último Encontrão (Foto: Facebook/A Mesa)
Lucas Matos, um dos editores do blog ‘Bliss não tem bis’, no último Encontrão de Poetas

ORGANIZADORES

Constituída em 2002, a Liga Brasileira de Editoras (Libre) congrega cerca de 130 editoras de diversas regiões do país em defesa da bibliodiversidade, termo que se refere à necessidade de diversidade na produção editorial e nos acervos disponibilizados aos leitores em bibliotecas, livrarias e outros ambientes.

A bibliodiversidade está relacionada à própria ideia de diversidade cultural — é a garantia de que o mercado do livro ajude a construir uma sociedade que respeite e promova a democracia e a diversidade de cultura, política e de gênero. Associada à Aliança Internacional dos Editores Independentes, com sede em Paris, a Libre é a maior rede do mundo dentro de tal segmento editorial.

A Nuvem de Livros é uma biblioteca em nuvem que permite a consulta ao seu acervo em um ambiente com acesso controlado e licenciado, absolutamente seguro, ideal para escolas, universidades e famílias, reunindo milhares de livros, vídeos e conteúdos interativos. Após aderir ao serviço, o usuário pode acessar romances, biografias, coletâneas de contos, crônicas, poesias, ensaios, novelas e vários outros gêneros literários, além de atlas, enciclopédias e dicionários.

Também compõem a plataforma audiolivros, audiocursos, entrevistas com importantes e premiados autores e produtores culturais, vídeos sobre literatura e saúde, reforço escolar e visitas guiadas aos mais respeitados museus do mundo.


/