Sustentabilidade

Empresa desiste de empreendimento imobiliário no autódromo

Em documento, Rio Motorsports diz que desistiu de empreendimento imobiliário e 41,9% do terreno serão utilizados para práticas de preservação ambiental

21 de agosto de 2020
Projeto do novo autódromo do Rio na Floresta do Camboatá, em Deodoro (Foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A Rio Motorsports, empresa que ganhou a concessão de construção do novo autódromo no Rio de Janeiro, disse que abriu mão do empreendimento imobiliário que seria construído em 41,9% do terreno em Deodoro, onde encontra-se a Floresta do Camboatá. Por meio de uma carta de compromisso enviada à Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade do Rio, a empresa diz que utilizará os 810 mil metros quadrados do terreno para práticas de conservação ambiental.

Segundo o documento, o projeto inclui desenvolvimento de projetos ambientais como de manutenção do patrimônio biótico, Centro de Estudos em Interpretação Ambiental, implantação de um Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS), implantação de uma Área de Soltura de Animais Silvestres (ASAS), horto florestal e arboreto.

Na semana passada, uma audiência pública teve maioria esmagadora contra a construção do autódromo em Deodoro, na Floresta do Camboatá. De aproximadamente 100 pessoas, apenas 2 foram à favor do projeto.


LEIA MAIS

Audiência tem maioria esmagadora contra projeto de autódromo

Petrobras: 5 anos e R$ 1,5 bi para limpar depósito ilegal no mar

Baía de Guanabara tem melhora na qualidade da água