Embratur defende liberação de cassinos para estimular turismo | Diário do Porto

Turismo

Embratur defende liberação de cassinos para estimular turismo

Cassinos em resorts integrados serão discutidos no 1º Fórum de Soluções para o Porto Maravilha, dia 9/12, em painel com Rodrigo Maia, presidente da Câmara

2 de dezembro de 2019


Marina Bay Sands, resort integrado em Singapura, é modelo para empreendimento no Rio (Foto: mrsiraphol / DepositPhotos)


Compartilhe essa notícia:


O presidente da Embratur, Gilson Machado, afirmou que a liberação dos cassinos no país é uma das medidas em estudo para incentivar o setor de turismo no Brasil e atrair mais visitantes do exterior. O tema é um dos que estarão em discussão durante o 1º Fórum de Soluções para o Porto Maravilha, no próximo dia 9, em evento promovido pelo Clube Empreendedor e DIÁRIO DO PORTO.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo neste domingo, ele defendeu que o modelo a ser adotado é o mesmo que existe em Singapura ou Macau, na China. Nesses locais, há os resorts integrados, empreendimentos que reúnem hotéis, shoppings, casas de shows, centro de convenções e o espaço para jogos ocupa menos de 5% da estrutura total.

No 1º Fórum de Soluções para o Porto Maravilha, a criação de um resort integrado na Região Portuária será debatida no último painel, que contará com uma palestra do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Entre os debatedores, estará o presidente da Fecomercio, Antonio Florencio de Queiroz Filho.

Para Machado, a legalização dos cassinos é uma forma de combater o jogo ilegal, que é praticado no país, e, assim evitar a lavagem de dinheiro. Os estabelecimentos legalizados são submetidos a rígidos controles de gestão e combate à corrupção, com acompanhamento instantâneo das operações pela Receita Federal e órgãos de fiscalização.


LEIA TAMBÉM:

Jovens do Pense Grande, no Rio, investem na mobilização social

Definidos palestrantes do 1º Fórum do Porto Maravilha

Alto consumo de sal é catástrofe para a saúde. Veja opções


A Embratur, empresa do Governo Federal para a promoção do turismo, foi transformada em uma agência e isso, segundo seu presidente, dá mais autonomia e recursos ao seu trabalho. Ele afirma que a mudança fará a Embratur passar de um orçamento de cerca de R$ 33,9 milhões ao ano, para cerca de R$ 508 milhões, por meio de mais recursos oficiais e parcerias com o setor privado.

Fazendo comparações com outros países, Machado disse que o Brasil tem hoje cerca de US$ 8 milhões para investir em promoção do país no exterior, enquanto o México gasta US$ 400 milhões. “O México é mais violento do que o Brasil e recebe 39 milhões de turistas por ano. Nós recebemos 6 milhões”, afirmou.

Sobre a objeção de setores conservadores e de igrejas à aprovação da liberação dos cassinos, o presidente da Embratur afirma que o projeto tem que ser feito com a participação de vários setores da sociedade, inclusive dos que se opõem.

Segundo ele, o importante é considerar o potencial de geração de empregos e renda, por meio da atração de turistas estrangeiros. No Congresso, os debates em torno do tema também apontam que a legalização será um atrativo para reter no país parte do dinheiro que os brasileiros levam para os cassinos no exterior.

Fórum vai debater o Porto Maravilha

As inscrições para o 1º Fórum de Soluções para o Porto Maravilha, são gratuitas para as empresas patrocinadoras e apoiadores do Fórum. Os ingressos para os demais participantes têm o valor de R$ 170,00. Mais informações abaixo, no Serviço.

Serviço:

Quando: segunda-feira, 09 de dezembro
Horário: das 08:30 às 13:00
Endereço: Novotel Porto Atlântico, av. Professor Pereira Reis, 49, Santo Cristo – Rio de Janeiro
Como chegar: VLT estação Santo Cristo (sentido Rodoviária); VLT estação Equador (sentido Santos Dumont)
Estacionamento no local.
Ingresso: R$ 170,00
Inscrições:
https://www.sympla.com.br/1-forum-de-solucoes-para-o-porto-maravilha__721334