Elétrico da Merck livra atmosfera de 2,5 ton de CO2 | Diário do Porto


Sustentabilidade

Elétrico da Merck livra atmosfera de 2,5 ton de CO2

Em 30 anos de vida útil, caminhão contratado pelo Merck Group impedirá que 600 toneladas de C02 sejam despejados na atmosfera

23 de agosto de 2021

Em 50 dias, elétrico da Merck impediu emissão de 2,5 ton de CO2 no ar (divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Em pouco mais de 50 dias de operação, o primeiro caminhão elétrico da frota da Merck, uma das maiores empresas do mundo em produção de medicamentos e tecnologia de Saúde, já evitou a emissão de 2,5 toneladas de CO2 na atmosfera. O veículo, que está sendo utilizado desde o início de julho, diariamente transporta medicamentos e itens diversos entre a fábrica da empresa instalada em Jacarepaguá, na zona oeste, e o Centro de Distribuição da empresa, localizado na Taquara, na mesma região, a 1,5 km de distância.

“A incorporação do 1º veículo elétrico à nossa cadeia produtiva é o tipo de iniciativa que nos orgulha, já que cria um valor positivo para a nossa sociedade em geral”, diz explica Flávia Felix, líder de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Merck no Brasil.

Em cerca de 30 anos de uso (vida útil estimada do veículo), o truck elétrico impedirá a emissão de 600 toneladas de CO2. Além de não poluir o ar da zona oeste, o uso do veículo traz outros benefícios, como o baixo custo de combustível por quilômetro rodado – cinco vezes menor quando comparado a um modelo convencional –, isenção de restrições na circulação urbana e o reduzido nível de ruído.

“Esse projeto é o meu xodó. Além de não produzir impacto ao meio ambiente, o veículo será dirigido por mulheres, o que nos conecta a um dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (Women’s Empowerment Principles, WEPs, em inglês), que tem como meta tratar todos os homens e mulheres de forma justa no trabalho e a não discriminação com mulheres, com a inserção delas em funções tipicamente masculinas”, comenta Aline Gomes, líder de Supply Chain e embaixadora do programaMulheres na Liderança da Merck”.

“Mulher no volante, eficiência constante”

O caminhão é conduzido pela motorista Michelle Possendo. Hoje, apenas 0,5% dos profissionais da atividade são mulheres. Não por acaso, recentemente, a Merck foi certificada na categoria Ouro do Prêmio WEPS 2021, por contemplar a equidade de gênero em suas práticas de gestão. O caminhão dirigido pela Michele pertence à Rodofly Operador Multimodal, empresa logística que presta a serviço de transporte à Merck. Foi adquirido após um pedido especial do cliente.

Veículo é dirigido por Michelle Possendo. Mulheres são raras na profissão (divulgação)

Além de ser uma iniciativa sustentável, o novo elétrico auxiliará no aumento da produtividade e eficiência da fábrica da companhia. “Com a implementação do caminhão elétrico, teremos um aumento de produtividade e eficiência, além da economia de R$ 100 mil ao ano”, afirma Aline.

Ela conta que companhia ainda prevê incluir o novo veículo em outras operações. Futuramente, a Merck planeja a substituição da carreta hoje utilizada da fábrica por um veículo mais sustentável do mesmo porte, que deve estar disponível até o fim de 2022.

Merck muito além do caminhão elétrico

De 2015 até o final do ano passado, a companhia investiu na substituição de alguns equipamentos por unidades mais eficientes e na troca de lâmpadas incandescentes e fluorescentes por lâmpadas de LED. Com isso deixou de emitir, aproximadamente, 282 toneladas de CO2 na atmosfera – o equivalente à emissão de 70 viagens de avião, ida e volta, do Rio de Janeiro a Berlin. Na mesma fábrica, também já é feito o reuso de água purificada para utilização nos mictórios; coleta seletiva; reuso do efluente tratado nas torres de refrigeração; e, em breve, contará com um projeto de compostagem.


LEIA TAMBÉM:

Firjan exige que Galeão não seja prejudicado

Economistas propõem mais impostos para os mais ricos

Sebrae Rio capacita para mercado internacional