Életricité de France planeja investir R$ 200 milhões no RJ | Diário do Porto

Energia

Életricité de France planeja investir R$ 200 milhões no RJ

EDF Norte Fluminense, da Électricité de France, tem projeto para construção da segunda termelétrica no estado. A primeira funciona em Macaé

7 de junho de 2021


Novo projeto de termelétrica da EDF Norte Fluminense está em andamento (Foto: Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


Impulsionado pelo novo regime tributário recém-aprovado na Assembleia Legislativa, o setor de gás natural no Estado do Rio de Janeiro continua atraindo investimentos. Subsidiária da Électricité de France, a EDF Norte Fluminense, que já tem uma termelétrica em Macaé, quer ampliar seus investimentos no estado até 2024 em R$ 200 milhões.

Em recente encontro com membros da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, o CEO da EDF Norte Fluminense, Emmanuel Delfosse, destacou o fortalecimento do setor de gás natural. “A nova lei do gás e a atuação proativa do poder executivo fluminense são fatores importantes para incentivar os investimentos nesse setor e implementar o novo mercado de gás no Estado, já que a competitividade avançou bastante com as medidas relativas ao ICMS do gás“, afirmou.

A Usina Termelétrica Norte Fluminense, em Macaé, tem capacidade instalada de 826 MW e é tida como a mais eficiente entre as térmicas em operação no País e no portfólio do Grupo EDF. A unidade é movida a gás natural produzido na Bacia de Campos e está em operação desde 2004, gerando energia para 2,5 milhões de pessoas no Estado do Rio de Janeiro.


LEIA TAMBÉM

RJ pode atrair projetos de energia eólica em alto-mar

Firjan: demanda por gás natural deve duplicar até 2026

Industrializa RJ: estado quer se reindustrializar com gás natural


Em outubro de 2020, a EDF Norte Fluminense encaminhou ao Ibama o projeto para construção da Usina Termelétrica Norte Fluminense 2. A unidade terá 1.713 MW de potência instalada para geração de energia elétrica a partir da queima do gás natural, que corresponde a 19% da capacidade de geração instalada no estado, podendo atender ao consumo de cerca de 5,2 milhões de pessoas em todo o país.

“O Governo do Estado está alinhado com o setor produtivo do gás natural, levando ao Senado e à Agência Nacional de Petróleo (ANP) reivindicações visando à melhoria do ambiente de negócios para os investidores da área de energia“, afirmou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico Leonardo Soares.