Eduardo Dussek leva musa inspiradora para o palco do Rival

Em show bem-humorado no feriado, cantor se apresenta junto com Silvia Machete, para quem fez música em disco que faz trilha sonora para novela da Globo

Silvia-Machete-Eduardo-Dussek-Foto-DanielaPaoliello
Eduardo Dussek e Silvia Machete fazem dobradinha no Teatro Rival Petrobras (Foto: Divulgação)

Amigos de longa data, os cantores Eduardo Dussek e Silvia Machete se apresentaram juntos no Teatro Rival Petrobras, na Cinelândia, na sexta-feira (12). Há anos Silvia grava e canta em shows as composições de Dussek, que dirigiu a cantora no delicioso show ‘Dussek veste Machete’.

Eduardo Dussek, cujo sobrenome que passou a ser escrito com dois “esses” para marcar a pronúncia correta, é um cantor bem-humorado, que canta e interage com o público, o que torna suas apresentações especiais e únicas.

De tanto desbravar a obra de Silvia Machete, menos conhecida do público, “La Machete” – como ele a chama com carinho – acabou se tornando uma musa inspiradora para o compositor, que compôs um cha-cha-cha especialmente para a performática cantora. A música integra o mais recente disco de Dussek, que acaba de entrar na trilha sonora da novela ‘O Tempo Não Para’ (TV Globo).

Já Silvia Machete canta ‘Ele não sabia de nada’, composição do então jovem e iniciante Dussek, que foi tema da novela ‘Bravo’, de 1975, também da Globo, agora rearranjada pelo pianista dela, Danilo Andrade. A sua performance de ‘Chocante’, gravada por ele e Cassia Eller, é sublime. “Cabelos negros” (parceria de Dussek com o poeta Cássio Ferreira) resultou numa interpretação delicada que também está no repertório do show.

Irreverência e protesto político

Os públicos dos dois artistas, embora diferentes, se combinam. Além do encontro com La Machete, Dussek promete um show também de altíssimo astral, como de costume, com canções bem-humoradas e românticas. Mas “sem nada de política”, avisa o showman. “Não vou me meter nessa divisão na qual o país se embrenhou”, alerta.

Apesar de admitir que talvez cante o samba ‘Baixaria, não!’, com os versos irreverentes: “Migalha a gente dá pra pombo / O povo quer é alimentação / Saúde, estudo e trabalho sem ladrão lá do Congresso dando chute no povão”…

Banda faz show de lançamento do single Jabaculê

pietá

Já no sábado (13), foi a vez da banda Pietá (foto ao lado) subir ao palco do Rival. O show marca o lançamento de ‘Jabaculê’, o segundo single do novo trabalho da banda, que aborda questões vigentes na política mundial, a forma como o dinheiro e o conservadorismo se retroalimentam e mantém o poder nas mãos de poucos e não do povo.

A música dá pistas do que será apresentado no segundo álbum, que será lançado no início de 2019, e está sendo produzido por Jr Tolstoi.  A banda carioca é formada por Frederico Demarca (voz, violão e percussão) e Rafael Lorga (voz, violão e percussão) e pela natalense Juliana Linhares (voz) e surgiu no início de 2012, por meio de encontros musicados que eles realizavam.

O balaio sonoro da Pietá bebe de fontes variadas. O trio apresenta uma sonoridade que conjuga a tradição e o contemporâneo, explora um universo poético diverso e transita por diferentes ritmos e temáticas. Nos shows o público ouve músicas autorais e homenagem a grandes figuras. Os ingressos são vendidos a R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada).

Fonte: Teatro Rival (Atualizado em 14 de outubro de 2018, às 10h)

Todas as Notícias