Edifício A Noite poderá ser vendido por corretores | Diário do Porto

Negócios

Edifício A Noite poderá ser vendido por corretores

Governo vai tentar a venda direta do A Noite, depois de duas tentantivas de leilão. Um dos marcos da arquitetura do Rio tem preço de R$ 73,6 milhões

9 de junho de 2021


Edifício A Noite, de 1929, é um dos principais prédios em estilo art déco da cidade (foto: Riotur / Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


A Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia (SPU/ME) anunciou que regulamentará a venda direta de imóveis oriundos de concorrência pública deserta ou fracassada, permitindo que eles sejam vendidos por intermédio de corretores. É o caso do Edifício A Noite, que fracassou nas duas tentativas de leilão eletrônico. A primeira, em abril, e a segunda, no último dia 7.

A venda direta é uma das alternativas propostas pela Lei nº 14.011/20. De acordo com a legislação, os imóveis são disponibilizados automaticamente para venda direta com desconto de 25% quando as concorrências públicas forem declaradas desertas ou fracassadas por duas vezes consecutivas.

Além disso, estabelece que o valor referente à comissão dos corretores deve ser pago pelo comprador, ou seja, a União não tem despesa com esse ato negocial.

O Edifício A Noite, na Praça Mauá, está no coração do Porto Maravilha, projeto que requalificou a Região Portuária do Rio, com investimentos em infraestrutura em 5 bairros da região. Representantes do mercado imobiliário ouvidos pelo DIÁRIO DO PORTO consideram que o preço pedido pelo Governo Federal, seu proprietário, é alto, mesmo com o desconto que reduziu o lance inicial a R$ 73,6 milhões. No cálculo do futuro comprador entraria o pesado investimento necessário para uma completa modernização do edifício, preservando suas características arquitetônicas. Há uma forte torcida para que o prédio seja transformado em um empreendimento residencial ou hoteleiro.


LEIA TAMBÉM:

Fábrica de Árvores levará mais verde a bairros como São Cristóvão

Docas do Rio: 7.434 portuários são vacinados

Praça da Harmonia terá prédio residencial, com lofts


Leilão do Edifício A Noite fracassou duas vezes

Na primeira tentativa, os lances mínimos deveriam ter sido de R$ 98 milhões. Sem interessados, a SPU ajustou para R$ 73,6 milhões, uma redução de 25%. Mesmo assim, não houve nenhum lance pelo A Noite, um dos mais importantes exemplares da arquitetura art déco no Rio.

Desde 2012, o prédio sofre com o abandono e não é mais ocupado por órgãos do Governo Federal. O esvaziamento causa problemas no entorno, para moradores e comerciantes. Há o temor de que a falta de manutenção adequada possa causar danos irreversíveis ao edifício.