Doze hotéis do Rio podem virar residências e escritórios | Diário do Porto


Imóveis

Doze hotéis do Rio podem virar residências e escritórios

Hotéis fechados do Rio buscam sair da crise se transformando em empreendimentos residenciais e comerciais. Hotel Glória terá moradias de alto padrão

24 de junho de 2021

O Hotel Glória será restaurado e transformado em residencial de luxo (Foto: Agência Brasil / Tomaz Silva)

Compartilhe essa notícia:


Afetados pela crise econômica, hotéis fechados no Rio podem se transformar em residências e escritórios. Na semana passada, o Hotel Glória, primeiro cinco estrelas do Brasil, recebeu autorização para ser convertido em um prédio com moradias de alto padrão e áreas comerciais, tendência que pode ser seguida por outros 11 estabelecimentos.

O presidente do Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro (HotéisRIO), Alfredo Lopes, avaliou que a possibilidade dessa transformação é muito importante para dar novos usos a prédios importantes para a cidade.

“Tudo isso garante a manutenção de empregos e a arrecadação de impostos. Isso é muito melhor. É mais inteligente do que ter um prédio fechado, se acabando”, disse, em entrevista à Agência Brasil.

Hotéis fechados do Rio esperam nova lei

Inaugurado em agosto de 1922, o Glória foi palco de reuniões dos membros da Assembleia Nacional Constituinte, em 1988, e teve suas portas fechadas em 2013, após a falência do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, que havia adquirido o imóvel em 2008, por R$ 80 milhões.

No ano passado, o fundo de investimento imobiliário Opportunity comprou o prédio e já estão em curso as reformas para converter os quartos em unidades residenciais de alto padrão, preservando as características arquitetônicas da antiga hospedagem.

Além do Glória, já foi autorizada também pela Prefeitura a conversão do Hotel Paissandu, no bairro do Flamengo, e o hotel Praia Linda, na Barra da Tijuca.

Alfredo Lopes reforçou que, no caso do Hotel Glória, a legislação urbanística permite a transformação do prédio. Para outros hotéis, localizados em bairros distintos, é necessária uma lei específica para mudar a destinação do imóvel. Há um projeto de lei para isso, na Câmara Municiapal, com previsão de aprovação no segundo semestre.


LEIA TAMBÉM:

China discute investimentos com Governo do Rio

Centro do Rio reage. Bar Luiz e Rio Scenarium estão de volta

Sesc RJ na Estrada exibe o charme da vila de Secretário, em Petrópolis


Queda na hospedagem

De acordo com a Hotéis Rio, desde o início da pandemia, no ano passado, 80 hotéis suspenderam as operações. Cerca de 12 não voltaram a abrir até hoje, entre eles, o Hotel Everest, que pode ser convertido também em prédio misto. Outros, que ainda não reabriram, devem retornar até o final deste ano, como o Ceasar Park e o Marina, que estão em obras.