Conheça 10 ícones da arquitetura da França no Rio | Diário do Porto


História

Conheça 10 ícones da arquitetura da França no Rio

A influência da arquitetura francesa no Rio está nos principais cartões postais, incluindo o maior símbolo da cidade. Conheça os pedaços da França no Rio

28 de agosto de 2019

Cabeça do Cristo Redentor foi esculpida na França (Foto: Alexandre Macieira/ RioTur)

Compartilhe essa notícia:


Não existe Rio de Janeiro sem a França. Se existisse, seria muito menos bonito. A constatação pode soar um pouco provocativa neste momento de rusgas entre os governos brasileiro e francês, mas é impossível ficar indiferente – ou blasé – aos pedacinhos da arquitetura francesa na Cidade Maravilhosa. Os franceses falharam nas tentativas de invadir a cidade em 1565 e 1711, mas na influência cultural foram muito bem sucedidos, para o bem do Rio.

Por onde se olha, especialmente no Centro da cidade, há marcas dessa herança. De 1816 até a Segunda Guerra Mundial, os estilos neoclássico, eclético, Art Déco ou Art Nouveau e o moderno marcaram as construções no Rio de Janeiro, então capital do Brasil. O DIÁRIO DO PORTO separou nove das maiores expressões da Arquitetura francesa no Rio para ajudar a mudar um pouco o foco da discussão quando o tema é a França.

 

Cristo Redentor

o Cristo Redentor também tem influência francesa em seu estilo
Cristo Redentor (Foto: Alexandre Macieira/ RioTur)

O Cristo Redentor é uma estátua Art Déco, inaugurada em 1931 no topo do Morro do Corcovado. Fica a 709 metros acima do nível do mar, no Parque Nacional da Tijuca, com vista para quase toda a cidade. Foi eleito na internet uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. A ideia de colocar uma estátua lá em cima foi do padre francês Pierre-Marie Boss. Ele sonhou com isso em 1859, mas o Redentor só foi colocado lá em 1923. Os criadores da estátua são o desenhista Heitor da Silva Costa, o pintor Carlos Oswald e o escultor francês Maximiliam Paul Landowsky. Ele esculpiu a cabeça e as mãos do monumento em Paris e  trouxe para o Brasil para finalizar a montagem.


Copacabana Palace

Fachada do Copacabana Palace tem influencia francesa no estilo
Copacabana Palace (Foto: Divulgação)

O hotel mais conhecido do Brasil é uma obra-prima em estilo Art Déco. O Belmond Copacabana Palace fica na praia mais famosa do mundo, Copacabana. Desde que abriu as portas, em 1923, está sempre movimentado, além de ser o centro nervoso da megalômana queima de fogos do Ano Novo.  O projeto da construção foi iniciado em 1919, sob o comando do arquiteto francês Joseph Gire. Ele inspirou-se em dois hotéis da Riviera Francesa: o Negresco, em Nice, e o Carlton, em Cannes. Outras informações no site.


Theatro Municipal

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Foto: Alexandre Macieira/ RioTur)

Um dos mais imponentes e belos prédios do Rio, o Theatro Municipal, inaugurado em 14 de julho de 1909, é a principal casa de espetáculos do Brasil e uma das mais importantes da América do Sul. O estilo predominante do prédio é o eclético, e sua construção fez parte da modernização urbanística do prefeito Pereira Passos. O projeto foi feito pelo filho do prefeito, Francisco de Oliveira Passos, que contou com a colaboração do francês Albert Guilbert. O desenho é inspirado na Ópera de Paris, de Charles Garnier. A programação completa do Theatro está no site.


Museu Nacional de Belas Artes

Museu Nacional de Belas Artes (Foto: Alexandre Macieira/ RioTur)

Inaugurado em 1938, o prédio do Museu Nacional de Belas Artes teve como inspiração e modelo o Museu do Louvre, o maior do mundo, em Paris. É uma construção eclética, em que o autor do projeto foi o arquiteto espanhol Adolfo Morales de los Rios. Situado no centro histórico, o edifício é uma das peças mais vistosas da modernização urbanística do prefeito Pereira Passos. Idealizado em 1908, só começou a ser construído em 1937, por um decreto do presidente Getúlio Vargas. Para conferir a programação é só clicar aqui.


Cine Odeon

Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro (Foto: DiPo)

Inaugurado em 1926, o Cine Odeon é um dos cinemas de rua que resistem às pressões do mercado imobiliário na cidade. É pioneiro e único do polo cinematográfico criado na Cinelândia ainda em atividade. Tendo as referências do período Art Déco em seu DNA, o Odeon é uma casa que mantém a sua estrutura com referências ao passado, mas não deixa de investir em tecnologia para oferecer experiências cinematográficas que condizem com o nosso presente. Confira a programação do cinema aqui.


LEIA TAMBÉM:

Painel no Porto Maravilha celebra a Amazônia

Cité: arquitetos do futuro ancoram na CasaCor

Que tal usar o metrô e o BRT até o Galeão?


Edificio Touring

A torre do Touring, com o prédio da francesa L´oréal ao fundo
A torre do Touring, com o prédio da francesa L´oréal ao fundo (Foto DiPo)

Inaugurado em 1926, o prédio ficou conhecido como Terminal Marítimo de Passageiros do Touring Club do Brasil. Projetado pelo arquiteto francês Joseph Gire, ele foi concebido no estilo Art Déco. O edifício fica no Centro, na Orla Conde, em frente à Praça Mauá e próximo à Parada dos Museus do VLT Carioca. Atualmente está sediando o CASACor Rio 2019 e, em breve, será a sede do Mercado do Porto Carioca. Na foto acima, detalhe da famosa torre do Touring, com o relógio. Ao fundo, o prédio da francesa L´Oréal, um das empresas pioneiras da nova fase do Porto Maravilha.


Palácio Tiradentes

palácio tiradentes iluminado
Iluminado, Palácio Tiradentes é atração noturna

Desde os tempos do Brasil Colônia, o local onde está hoje o Palácio Tiradentes é um sítio histórico que guarda um grande pedaço da memória política do Brasil. Foi onde o alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, ficou preso até ser enforcado no dia 21 de abril de 1792. O edifício monumental atual foi projetado em estilo eclético pelo brasileiro Archimedes Memoria e o francês Francisque Couchet, e inaugurado em maio de 1926. Ao longo da Era Vargas, o prédio foi a sede do Ministério da Justiça e o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP). Hoje, ele abriga a Assembleia Legislativa e um museu que conta parte da história brasileira. Outras informações e o agendamento para visitas estão disponíveis no site.

 


Casa França – Brasil

Casa França-Brasil (Foto: Divulgaçäo)

A construção é o primeiro registro do estilo neoclássico no Rio de Janeiro, tendência que viria então a popularizar-se, buscando a semelhança com as cidades europeias. O edifício foi inaugurado como a primeira Praça do Comércio do Rio de Janeiro, em 1820, encomendada pelo próprio D. João VI. Em 1990, ela foi inaugurada como Casa França-Brasil, com o intuito de promover uma programação eclética, com exposições de variados temas e artistas consagrados. Hoje, a casa é um pólo de difusão cultural e referência em arte contemporânea bem na zona portuária do Rio. Confira a programação completa aqui.


Palácio Laranjeiras

Palácio Laranjeiras (Foto: Shana Reis/ Sec. Cultura Rj)

É um palácio de estilo eclético, designado como residência oficial do Governador do estado do Rio de Janeiro. Localizado em Laranjeiras. Foi construído em 1914. O palacete possui fachadas profusamente ornamentadas, especialmente as fachadas da ala social, decoração inspirada na arquitetura palaciana francesa dos séculos XVII e XVIII. O edifício também foi residência oficial do presidente Juscelino Kubitschek, antes da inauguração do Palácio da Alvorada.


Praça Paris

Detalhe da Praça Paris, com estátua de peixes no lago
Detalhe da Praça Paris (Foto DiPo)

Talvez seja a praça mais bonita da cidade, entre o bairro da Glória e o Aterro do Flamengo. Construída em 1926 durante a gestão do prefeito Antônio Prado Júnior, tem projeto do urbanista francês Alfred Agache. O desenho reproduzia um típico jardim parisiense da época, abrigando amendoeiras de grande porte e obras de arte. A praça é uma joia da belle époque. Foi completamente destruída na época da construção do metrô, mas restaurada e reinaugurada em 1992, já cercada por grades.

 


/