Cury vai construir 1.200 apartamentos no Porto | Diário do Porto


Imóveis

Cury vai construir 1.200 apartamentos no Porto

Empreendimento residencial da Cury Construtora terá 3 prédios, cada um com 19 andares, ao lado da Rodoviária. Início das obras será em maio

22 de março de 2021

Construtora Cury vai fazer 3 prédios residenciais na Praça Marechal Hermes, na Região Portuária (foto: Reprodução da Internet)

Compartilhe essa notícia:


A Cury Construtora e Incorporadora, reconhecida como uma das líderes em empreendimentos de baixa renda, iniciará em maio a construção de um conjunto de 3 prédios residenciais, na praça Marechal Hermes, no Santo Cristo, próximo à Rodoviária do Rio, com 1.200 apartamentos.

A novidade é o primeiro grande investimento residencial na Região Portuária, que desde 2010 passou por projetos de requalificação urbana dentro do projeto do Porto Maravilha.

O conjunto terá 3 prédios com 19 andares cada um, segundo o projeto apresentado pela Cury à Cdurp (Companhia de Desenvolvimento Urbano do Porto), empresa da Prefeitura do Rio.

O empreendimento da Cury contará com infraestrutura completa de lazer, academia e piscina, além de área nas coberturas com vista para a Baía de Guanabara (rooftop).

Um dos grandes atrativos da localização dos futuros prédios da Cury é a facilidade de transportes, com linha do VLT nas proximidades e metrô a 15 minutos de caminhada.

Em maio, haverá o lançamento para o primeiro prédio, com 470 estúdios e apartamentos, e valores entre R$ 240 mil e R$ 450 mil.

Cury teve lucro de R$ 160,8 milhões em 2020

A Cury divulgou na semana passada que teve lucro líquido de R$ 68 milhões no quarto trimestre de 2020, um aumento de 35% em relação ao mesmo período de 2019. No fechamento do ano, a companhia registrou lucro líquido de R$ 160,8 milhões, estável em comparação ao encerramento do ano anterior.

O lançamento de projetos residenciais é uma das maiores reivindicações de líderes empresariais e investidores interessados no Porto Maravilha. Atualmente, os bairros da região têm cerca de 30 mil habitantes, havendo projeção de que os mesmos comportem aproximadamente 400 mil.

A Prefeitura do Rio tem afirmado ser prioridade o incentivo à ocupação residencial da Região Central da cidade e também da Região Portuária, como forma de recuperar as atividades econômicas e aproveitar a infraestrutura já instalada nos bairros dessas áreas.


LEIA MAIS:

Elite do país lança carta aberta contra o negacionismo

Museus do Rio fecham as portas por causa da pandemia

Fechar o Santos Dumont seria saída para o Galeão

 


/