Crivella pede a Forças Armadas para trazer 806 respiradores da China | Diário do Porto

Saúde

Crivella pede a Forças Armadas para trazer 806 respiradores da China

Prefeito calcula que sejam necessários quatro ou cinco aviões para trazer os equipamentos adquiridos pela Prefeitura. Veja outras medidas contra coronavírus

31 de março de 2020


Crivella,diz que fim do isolamento social depende de equipamentos para rede de Saúde (foto: Prefeitura / Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


O prefeito Marcelo Crivella disse que a Prefeitura está em negociações com as Forças Armadas para que aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) viajem à China e antecipem a entrega dos 806 respiradores mecânicos comprados pelo município. A chegada dos equipamentos está prevista em abril e maio. Respiradores são fundamentais no tratamento dos casos mais graves da Covid-19.

“Precisaremos de uns quatro ou cinco aviões de campanha, porque temos na China mais de 150 toneladas de material comprado pela Prefeitura para trazer. Eles nos pediram quais são os aeroportos e nós já informamos. Estamos apenas aguardando a decisão. São US$ 300 milhões em equipamentos”, explicou Crivella.

40 mil máscaras

Entre outras medidas anunciadas pelo prefeito está a compra em curtíssimo prazo de 40 mil máscaras de proteção para profissionais de saúde. Outros R$ 2,5 milhões serão gastos na aquisição de camas para o hospital de campanha que está sendo montado no Riocentro.

O Fundo Especial de Combate ao Coronavírus, aprovado pela Câmara de Vereadores, receberá doações destinadas a enfrentar a Covid-19. “Qualquer depósito é bem-vindo, não tem valor mínimo, não tem valor máximo”, afirmou o prefeito.

Novo apelo contra aglomerações

Ao comentar a liminar obtida pelas Lojas Americanas para abertura de suas lojas para venda de alimentos – já autorizada previamente -, o prefeito pediu que os comerciantes respeitem as orientações e evitem aglomerações nesses estabelecimentos.

Vagas em hotéis para idosos de comunidades

O prefeito fez um apelo aos idosos que vivem em comunidades, onde correm risco maior de contaminação pelo coronavírus, para que se isolem nas mil vagas disponíveis para eles em hotéis da cidade, bancadas pela Prefeitura. Eles terão alimentação, além de apoio médico e psicológico, para evitar aglomerações. São, segundo o prefeito, quartos com wifi, TV com diversos canais, banheiro no quarto, café da manha, almoço, lanche, jantar e visita de profissionais de saúde”, reforçou o prefeito.