Criação do Parque Sustentável da Gávea é sancionada por Paes | Diário do Porto

Sustentabilidade

Criação do Parque Sustentável da Gávea é sancionada por Paes

Parque Sustentável da Gávea será criado pela iniciativa privada, numa área de 25 mil metros², abandonada há 40 anos, sem custos para os cófres públicos

1 de julho de 2021


Parque Sustentável da Gávea: local terá espaço comercial, residencial e de lazer público (Foto: Projeção da Área / Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


O prefeito Eduardo Paes sancionou a lei que cria o Parque Sustentável da Gávea, dando uma destinação ambiental e urbanística a uma área abandonada há cerca de 40 anos na Rua Marquês de São Vicente, na Zona Sul do Rio.

Proposto em 2018, o projeto de lei foi votado em 15 de junho na Câmara dos Vereadores. O terreno de uma antiga indústria poderá abrigar, além de parque com praça, áreas verdes e trilhas para caminhada, um empreendimento imobiliário de uso misto.

Eduardo Paes - Parque Sustentável da Gávea
Lei foi sancionada pelo prefeito no local do parque ( Foto: Fábio Motta/Prefeitura)

O prefeito comemorou a iniciativa, feita em parceira com a iniciativa privada. “Você pega uma área que está abandonada há tanto tempo, permite que o empreendimento privado aconteça e, ao mesmo tempo, garante uma área para a cidade, um lugar fantástico, próximo à natureza, um parque público. E o que é mais interessante de tudo: vai ser mantido pelo próprio setor privado. É uma conquista que a gente pode aplicar em outros locais do Rio” disse Eduardo Paes.


LEIA TAMBÉM:

Galeão é prioridade, dizem Castro e Paes a ministro

Chegada de livrarias à Tijuca dá esperança ao setor

Projeto Experimente Cultura leva jovens a museus de forma virtual


Parque Sustentável sem custos para os cofres públicos

De acordo com o texto da lei sancionada, a área foi dividida em três setores, com diferentes regras de uso e preservação. No primeiro setor, mais próximo da Rua Marquês de São Vicente, está prevista a implantação de uma grande praça, garantindo a preservação de uma mangueira centenária existente no local.

Já na parte intermediária, empreendedores imobiliários poderão erguer duas edificações de uso misto (lojas comerciais no térreo e residenciais em cima). O terceiro setor será de preservação ambiental, sem acesso público.

bosque-da-gavea
Perspectiva do projeto de ocupação do Parque Sustentável, mostra área arborizada e salas comerciais (Reprodução de internet)

Todos os custos serão arcados pelos donos dos terrenos, sem ônus para os cofres públicos. A lei garante ainda o uso da área pela população durante todo período diurno, como ocorre com os demais parques municipais da cidade. A previsão é de que ele fique pronto em até dois anos.

Um modelo para outros bairros

O secretário municipal de Planejamento Urbano do Rio, Washington Fajardo ressaltou que o modelo do Parque Sustentável da Gávea será levado para outras regiões da cidade, especialmente a Zona Norte.

“O que temos aqui é uma solução muito inteligente, que mostra como o consenso é positivo para a cidade. Houve articulação entre Prefeitura, Legislativo e setor privado com os moradores do local. E o resultado é o que estamos vendo: uma transformação do espaço com qualidade, produzindo benefícios públicos e privados” comentou Fajardo.