Corpo de Wagner Montes foi sepultado domingo | Diário do Porto


Política

Corpo de Wagner Montes foi sepultado domingo

Deputado morreu na manhã deste sábado, com infecção generalizada. Wagner Montes foi o deputado estadual mais votado da história, com 528.628 votos em 2010

26 de janeiro de 2019

O deputado Wagner Montes tinha 64 anos (f Vitor Soares)

Compartilhe essa notícia:


A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) comunicou com pesar a morte do deputado estadual Wagner Montes (PRB). Ele morreu na manhã deste sábado 26, em decorrência de infecção generalizada e falência de múltiplos órgãos.

O corpo do político, que tinha 64 anos, foi velado no saguão do Palácio Tiradentes e, em seguida, levado ao crematório do Cemitério São Francisco Xavier, no Caju.

Recém-eleito deputado federal, o parlamentar enfrentava desde 2017 uma série de problemas de saúde. Há algumas semanas estava internado em um hospital no Rio de Janeiro.

Criado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, Wagner Montes conciliou a política com a carreira de apresentador de rádio e TV. Foram mais de 44 anos no comando de atrações. Elas chegaram a ser exibidas em cerca de 150 países. Sua estreia como jornalista foi em 1974, na Rádio Tupi.

 


LEIA TAMBÉM:

Alerj dá R$ 200 milhões para Witzel contratar policiais

Ceciliano e Chicão: o que pensam os candidatos à Alerj

Projeto proíbe armas às vésperas da disputa pela Alerj


 

Na televisão, esteve à frente de diversos programas como “Aqui e Agora”, da Tupi, e “O Povo na TV”, do SBT. Ele  também atuou na emissora como jurado do “Show de Calouros”. Em 2003, mudou para a TV Record, onde comandou o “Verdade do Povo”, “RJ no Ar”, “Balanço Geral” e “Cidade Alerta – Rio de Janeiro”.

Wagner Montes era advogado, formado pela Universidade Gama Filho. Teve sua atuação, tanto na TV como na política, marcada pelo discurso da solidariedade com os mais vulneráveis e de combate ao crime. Essas características que o fizeram ostentar elevados índices de popularidade. Ainda jovem, foi apelidado pelo lendário Tenório Cavalcante, em Caxias, de “Chicote do povo”.

O mais votado da história

Wagner Montes elegeu-se para a Alerj em 2006, com 111.802 votos. Quatro anos mais tarde, recebeu 528.628 votos, tornando-se o deputado estadual mais votado da história do estado. Na eleição de 2014, foi reeleito com 208.814 votos, segundo mais votado.

Na última legislatura, ocupou o cargo de 1º vice-presidente da Mesa Diretora da Alerj e chegou a presidir a Alerj em diversos momentos. No ano passado, foi eleito deputado federal, com 65.868 votos.

Wagner Montes deixa a mulher, Sônia Lima, e dois filhos. Um deles é fruto do relacionamento com Sônia. O outro, com a Miss Brasil de 1983, Cátia Pedrosa.

A homenagem de Crivella

O prefeito Marcelo Crivella divulgou um texto em tom emocional para homenagear o deputado. Leia a nota:

Hoje, há em cada olhar uma lágrima, em cada lar uma oração e em cada coração um voto de pesar e de saudade, pelo falecimento do líder, servidor do povo e amigo de todos, Wagner Montes que a morte nos arrebatou inesperadamente.

Sua trajetória, desde as primeiras apresentações na televisão, no programa “O Povo na TV”, ao lado de Wilton Franco, Sergio Mallandro, Christina Rocha e Roberto Jefferson, até a aclamação como o Deputado Estadual mais votado da história do Rio de Janeiro, é um exemplo da índole, da vocação e da natureza do cidadão fluminense em sua incansável jornada em favor do povo em especial dos mais humildes.

Esse povo, que ele tanto amou, pelo qual lutou e se devotou durante a vida inteira, lhe prestou as últimas homenagens na recente eleição, quando, já em uma cadeira de rodas, vencendo as dificuldades de uma doença implacável, o consagrou mais uma vez, agora como Deputado Federal.

A cidade do Rio de Janeiro decreta luto oficial por três dias em homenagem a Wagner Montes, a qual, em cada momento de sua vida, ele honrou, dignificou e engrandeceu.

Que Deus o tenha no céu.

Marcelo Crivella

Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro


/