Cores do Rio será primeiro residencial do Reviver Centro | Diário do Porto


Imóveis

Cores do Rio será primeiro residencial do Reviver Centro

Prefeito Eduardo Paes anuncia amanhã o lançamento do Cores do Rio, primeiro empreendimento residencial do programa Reviver Centro

16 de setembro de 2021

Desenho da fachada do Cores do Rio, primeiro residencial do Reviver Centro (divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Com assinatura da construtora W3 Engenharia, o Cores do Rio será o primeiro empreendimento imobiliário do Reviver Centro, programa da Prefeitura que concede incentivos fiscais e tributários para novas construções e reformas de imóveis localizados na região central da cidade. O lançamento oficial será feito amanhã pelo prefeito Eduardo Paes e os secretários de Planejamento Urbano, Washington Fajardo, e de Desenvolvimento Econômico, Chicão Bulhões.

O Cores do Rio será construído na rua Irineu Marinho, próximo ao Campo de Santana. A localização é privilegiada, pois está próximo de estações de Metrô, do Sambódromo e do famoso comércio popular do Saara. Segundo informações divulgadas pelo site Diário do Rio, o empreendimento terá 122 unidades entre estúdios, um quarto e dois quartos, além de uma loja no térreo. Os imóveis têm preços a partir de R$ 260 mil, que poderão ser financiados em até 420 meses (35 anos). O financiamento da obra será feito pelo Banco Santander.


LEIA TAMBÉM:

Centro do Rio começa a sair da UTI

Governo do Estado publica edital para retomada de obras do MIS

Sufoco para almoçar no Porto Maravilha


As vantagens do Reviver Centro

Para incentivar a moradia na região, no Reviver Centro a Prefeitura concede isenção do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) nos três primeiros anos, contados a partir da entrega do apartamento, e oferece alíquotas reduzidas do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI).

Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) e vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-RJ), Cláudio Hermolin conta que as duas entidades participaram ativamente dos debates em torno do Reviver Centro por acreditar que o Centro é um dos lugares com maior potencial de valorização do Rio de Janeiro. “A instalação de empreendimentos residenciais na região faz total sentido. É um prazer ver que este projeto, muito discutido no poder Executivo, foi rapidamente abraçado pelo Legislativo e aprovado recentemente. E já colhemos frutos como o lançamento do Cores do Rio, da W3”, ressalta Hermolin.