Costureiras do Porto vão fazer uniformes para a Comlurb | Diário do Porto


Empreendedorismo

Costureiras do Porto vão fazer uniformes para a Comlurb

Costureiras do projeto integram a Cooperativa Maravilha, junto com moradores da Saúde, Gamboa, Morros do Pinto e da Providência

2 de abril de 2019

Costureiras do Porto Maravilha recebem encomenda da Comlurb (foto: Jonatha Soares / Prefeitura do Rio)

Compartilhe essa notícia:


Costureiras que moram em comunidades do Porto Maravilha foram contratadas para confeccionar uniformes dos trabalhadores da Comlurb. Elas integram um projeto da Prefeitura do Rio de Janeiro que também emprega cooperativas de outras regiões da cidade, como Jacaré, Vila Vintém, Vila do João e Fallet.

A iniciativa pretende confeccionar cerca de 68.400 blusões e 71.600 calças, por meio de parcerias entre a empresa contratada pela Prefeitura para a produção e as cooperativas de costureiras das comunidades.

Para o lançamento do projeto, o prefeito Marcelo Crivella recebeu as costureiras no Palácio da Cidade, em Botafogo, na semana passada. Ele afirmou que estava cumprindo uma de suas promessas de início de governo, gerar trabalho e renda, especialmente para a população mais pobre.

Segundo o prefeito, a iniciativa é uma forma de estimular a economia da cidade, na medida em que a remuneração das costureiras com a produção dos uniformes acaba entrando em uma cadeia de consumo local.

“É muito importante a economia do Rio de Janeiro girar. Aqui nas nossas comunidades temos competentes costureiras que precisam de encomendas. Quando isso, na escala, se tornar um bom negócio, as empresas terceirizadas também vão poder usar essa mão de obra qualificada. Qual a vantagem? É que o dinheiro circula entre nós. Hoje está na mão da costureira, amanhã vai ser o salário do padeiro, que vai gastar na farmácia ou no táxi. E assim a nossa economia volta a ser pujante como era no passado”, afirmou o prefeito.


LEIA MAIS:

As novas profissões no mundo dos jogos

BNDES vai apoiar o desenvolvimento de 79 startups

Witzel decide disputar Porto com Crivella


As costureiras da região portuária integram a Cooperativa Maravilha, junto com moradores da Saúde, Gamboa, Morros do Pinto e da Providência. Atuando com as demais cooperativas das outras regiões da cidade, elas já receberam anteriormente encomenda para fabricação de 100 mil uniformes de alunos das escolas municipais.

A Cooperativa Maravilha é fruto de uma parceria entre a Prefeitura do Rio, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado do Rio de Janeiro (Sescoop-RJ) e o Centro Brasileiro de Estudos em Design de Vestuário (CBEDV).

A Cdurp  reformou duas salas de um galpão para sede da cooperativa, e as máquinas de costura foram cedidas por duas ONGs, Som+Eu e Providenciando a Favor da Vida .

O VLT Carioca foi a primeira empresa privada da região portuária a apoiar a cooperativa, com um pedido inicial de 510 uniformes para equipes operacionais, em 2017.


/