As prioridades de Carlo Caiado, presidente da Câmara do Rio | Diário do Porto

Política

As prioridades de Carlo Caiado, presidente da Câmara do Rio

Aos 40 anos e no quinto mandato, Carlo Caiado se torna interlocutor estratégico de Paes para Segurança, BRT, metrô, saneamento e Educação. Veja perfil

1 de janeiro de 2021
Carlo Caiado em campanha com Eduardo Paes (fotos Facebook)

Compartilhe essa notícia:


Ao escolherem Carlo Caiado como presidente da Câmara Municipal, os vereadores cariocas embarcaram na onda de renovação que o prefeito Eduardo Paes imprimiu ao primeiro escalão da Prefeitura, com grande parte dos secretários abaixo dos 40 anos. Caiado, que completa 40 em 9 de janeiro, não chega a ser marinheiro de primeira viagem, pois está no quinto mandato, mas seu perfil, ativo nas ruas e redes sociais, destoa da discrição do antecessor, Jorge Felippe, 70 anos, um ás dos bastidores que comandou o Palácio Pedro Ernesto por uma década.

O sobrenome Caiado tem, sim, a ver com o governador de Goiás, Ronaldo, que de 1986 a 1989 presidiu a UDR (União Democrática Ruralista). O vereador também nasceu em Goiás e sempre jogou pela direita, mas, ao contrário do primo famoso, circula bem entre outras forças políticas. Tanto que, na eleição de ontem para a Presidência da Câmara, contou com o apoio até da pequena bancada do PT, de três vereadores. Só o Psol, com sete, não votou nele.

Emoção ao citar o pai

Carlo Caiado com o pai e uma das filhas
Com o pai, “Caiadão”, e uma das filhas: paixão pela família

Nono vereador mais votado entre 51, com 26.212 votos, Carlo Caiado sempre foi um parlamentar atuante. Em setembro, defendeu o impeachment do então prefeito Marcelo Crivella, cuja campanha à reeleição foi apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Ele tampouco se alinha aos radicais de direita que desdenham das ações de combate ao novo coronavírus. Na campanha, sempre usou máscara, passou mensagens firmes em defesa da prevenção e foi um engajado cabo eleitoral do prefeito Eduardo Paes, de seu partido, o DEM.

Carlo Caiado com camisa do Fluminense
Ainda bebê, já “torcedor” do Fluminense

No primeiro ato como presidente, Carlo Caiado pediu um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do vírus. Ele se emocionou ao citar a família e o pai, Cláudio, que ele chama carinhosamente de “Caiadão”, e pediu uma salva de palmas ao antecessor, Jorge Felippe. “O momento então é de união, e vamos juntos reconstruir o Rio de Janeiro”, disse. Anunciou ainda a criação de uma comissão para acompanhar e fiscalizar as ações do Poder Executivo no combate ao coronavírus.

Segurança, saneamento, BRT e metrô

Em seus discursos, Caiado ressalta ser ficha limpa e suas “mais de 280 leis aprovadas”. Mostra-se também um homem movido por paixões. Na vida privada, a esposa Gabi, as queridas “Marias” – as filhas Majo e Mavi (Maria Joanna e Maria Vittoria) e o Fluminense. Na pública, por temas que considera estratégicos para a cidade, como o Segurança Presente, o BRT e a Linha 4 do Metrô até a Gávea e o Terminal Alvorada. Como deputado estadual, aprovou a Lei 8.730/2020, com Márcio Pacheco e Martha Rocha, que amplia a rede de monitoramento do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), com câmeras em edifícios e estabelecimentos privados.

Outros assuntos que mobilizam o presidente da Câmara de Vereadores são investimentos em Educação, com destaque para creches, e o saneamento, o que o torna uma figura importante em meio às negociações entre Prefeitura, Estado e União para a privatização da Cedae. “Saneamento é um dos temas que trato com prioridade. Na Câmara, criei e presido a Comissão de Saneamento e venho lutando por recursos para a despoluição dos canais e rios da Cidade e pela ampliação da rede de tratamento de esgoto”, ressaltou, na campanha. “Cada real gasto em saneamento economiza R$ 9 em saúde. Investir em saneamento é cuidar da saúde da população.”

Portal da Transparência

Carlo Caiado, close, microfone
Atuante na Câmara, Carlo Caiado circula entre diversos partidos

A dedicação às políticas públicas rendeu a Carlo Caiado homenagens de Paes nos palanques virtuais e atos de rua de 2020. “Não tem ninguém mais firme, mais dedicado, mais trabalhador, que conhece a realidade do Rio, que o Carlo Caiado”, elogiou o então candidato do DEM.

Outro assunto pouco familiar aos conservadores e que Carlo Caiado tem tratado com prioridade é a transparência na gestão. Foi um dos criadores mais entusiasmados do Portal de Transparência, com divulgação, por exemplo, dos preços pagos por medicamentos, do andamento da fila do Sisreg. Criou também o Portal de Transparência dos Royalties do Petróleo e a obrigatoriedade de divulgação dos contatos firmados em função da Covid, assim como do inventário dos bens adquiridos no combate à pandemia.

 


LEIA TAMBÉM:

Volkswagen, em Resende, prevê investir R$ 3 bilhões

Veja os lugares favoritos dos arquitetos no Rio

Firjan: venda da Cedae despoluirá a Baía de Guanabara


 

“Lembro-me do entusiasmo quando pisei pela primeira vez na Câmara do Rio, como vereador, em 2005. Aos 23 anos, um dos mais jovens vereadores eleito na Cidade, sabia plenamente da responsabilidade do cargo a mim confiado pela população. Quase 16 anos depois, me orgulho do caminho que trilhei”, resumiu o vereador, ao confirmar a vitória deste ano. Em 2016, ele foi apontado pela Embaixada Americana como um dos sete jovens líderes políticos no Brasil.

Influência católica

Carlo Caiado formou-se em Administração pela PUC-Rio e especializou-se em Políticas Públicas pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), da Universidade Cândido Mendes. Atuou na Subprefeitura da Barra e Jacarepaguá e foi administrador regional do Recreio dos Bandeirantes, aos 22 anos. A militância política começou aos 16, e aos 18 já trabalhava como assessor parlamentar do deputado estadual Eider Dantas (DEM).

Carlos Caiado aos 23 anos
Carlo Caiado aos 23 anos: um dos mais jovens vereadores do Rio

Em uma entrevista ao Jornal da PUC, em 2016, Carlo Caiado falou sobre a influência da religião católica na família e também do então reitor da Universidade, padre Josafá Siqueira, em sua formação política. “A PUC tem um conceito de formação e discussões ideológicas que tem uma participação fundamental na minha vida pessoal e pública. Tenho vários livros do padre Josafá com conceitos que me ajudaram a elaborar muitos projetos de lei”, contou.

Apesar de ter recebido os votos do PT para a Presidência da Câmara, ele terá que ter jogo de cintura para lidar com a esquerda, especialmente o Psol, vigilante na oposição. E lidará com um adversário especial, o ex-senador e ex-prefeito de Nova Iguaçu Lindberg Farias, também eleito vereador. Eles jogaram futebol juntos no ginásio da PUC. “Tinha também o nosso encontro no China. Nos reuníamos com os amigos, comíamos um joelho, que era o melhor joelho de todos, e ficávamos lá”, contou ele ao jornal universitário.

Carlo Caiado na chuva
Vereador Carlo Caiado confere estragos da chuva: nas ruas

A entrada precoce de Carlo Caiado na política teve o empurrão do líder da garotada liberal na época, o então prefeito César Maia, um ex-exilado e ex-brizolista, que escalava os jovens do PFL (antigo DEM) para a prefeitura. Foi o que levou Caiado a abraçar comunidades da Zona Oeste, onde tem parte considerável de seus votos, como Guaratiba. A presença na Zona Oeste também o torna interlocutor do prefeito Eduardo Paes na recuperação do BRT, mais importante sistema de transporte da região.

Confira, abaixo, a composição da nova Mesa Diretora que conduzirá os trabalhos da Câmara Muncipal até dezembro de 2022.

Titulares:

Presidente:  Carlo Caiado (DEM);
1ª vice-presidente:  Tânia Bastos (Republicanos);
2º vice-presidente:  Luciano Vieira (Avante);
1º secretário:  Rafael Aloísio (Cidadania);
2º secretário:  Marcos Braz (PL).

Suplentes:

1º suplente:  Jones Moura (PSD);
2ª suplente:  Tainá de Paula (PT).