Congresso Mundial de Arquitetura será adiado | Diário do Porto

Indústria criativa

Congresso Mundial de Arquitetura será adiado

Anúncio deve ser feito hoje, após reunião da União Internacional de Arquitetos em Paris. Organizadores esperavam pelo menos 15 mil participantes

19 de março de 2020
Píer Mauá lotado em evento recente, Mondial de La Biére (Foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


O anúncio formal deve ser feito nesta sexta-feira, após reunião do conselho da União Internacional de Arquitetos (UIA), na França, que deve decidir pelo adiamento do 27º Congresso Mundial de Arquitetura. O coração do evento, que coincidiria com a Olimpíada de Tóquio, seria o Píer Mauá, no Porto Maravilha.

A reunião da UIA em Paris vai discutir se aponta uma nova data ou se adia também essa decisão, para observar o desenrolar da pandemia do Covid-19, provocada pelo coronavírus. O cancelamento do evento no fim de julho deve ser mais um baque difícil para a hotelaria e a cadeia de turismo do Rio, que amarga 90% de cancelamentos em função da doença.

A cidade do Rio ganhou a indicação para sediar o maior evento de Arquitetura do mundo após concorrer com Paris e Melbourne (Austrália). É visto como uma grande oportunidade para arquitetos brasileiros restabelecerem sua importância social frente à sociedade brasileira e ao mundo. E também para expor a diversidade do patrimônio arquitetônico carioca para o turismo mundial.


LEIA TAMBÉM:

Ônibus não pode ter passageiro em pé, mas BRT descumpre

Hospital de campanha no Riocentro terá 500 leitos

Píer Mauá se prepara para o Congresso Mundial de Arquitetos


 

Um dos desafios para desmarcar o evento é o que fazer com as 6 mil inscrições já realizadas. A maioria é de brasileiros, mas também há arquitetos e estudantes de outros países. Estimava-se a participação de pelo menos 15 mil pessoas nas atividades do congresso.

Em função de sediar o evento, a cidade do Rio de Janeiro se tornou em 2020 a Capital Mundial da Arquitetura. O título, concedido pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), é do Rio pelo menos até 31 de dezembro. O Congresso, que acontece a cada 3 anos e pela primeira vez será realizado no Brasil, organizado pela UIA e pelo IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil).

Quatro armazéns do Píer Mauá seriam ocupados pelo Congresso e pela UIA2020RIO Expo, uma feira de empresas com novidades e inovações em materiais e equipamentos para arquitetura, mobilidade urbana, mobiliário e inovação. O urbanista e arquiteto Sérgio Magalhães, presidente do comité organizador, vê o tema do Congresso “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21”, como uma oportunidade para que a sociedade valorize mais os espaços públicos e as cidades.

Preservação e estima pela cidade

“Tanto o congresso, quanto a capital mundial, objetivam colocar o tema da cidade, do espaço construído, da arquitetura em diálogo com a sociedade para que as pessoas, reconhecendo os seus espaços e conhecendo a importância deles possam ajudar a preservá-los, aumentar a sua estima pela cidade e, portanto, melhorando o ambiente”, afirma Magalhães.

O congresso tem apoio do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU/RJ), da Federação Nacional de Arquitetos e Urbanistas (FNA), da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (ABAP), da Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura (AsBEA), da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (ABEA), da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo (ANPARQ), do Conselho Internacional dos Arquitectos de Língua Portuguesa (CIALP) e da Federação Pan-Americana de Associações de Arquitetos (FPAA).