Começam as obras no Museu Nacional | Diário do Porto


Museus

Começam as obras no Museu Nacional

Fachada histórica do edifício-monumento do Museu Nacional será restaurada até setembro de 2022 para as celebrações do Bicentenário da Independência

12 de novembro de 2021

Obras na estrutura do Museu Nacional começam pela fachada e telhado do bloco histórico (divulgação/Trevo Soluções em Comunicação)

Compartilhe essa notícia:


O Projeto Museu Nacional Vive anunciou o início das obras de restauração do Paço de São Cristóvão, sede do Museu Nacional/UFRJ.  Planejada para acontecer em etapas, a obra no Paço começa pela restauração das fachadas e telhados do bloco histórico, o setor que, ainda hoje, congrega elementos arquitetônicos e ornamentais representativos do período imperial com acervos científicos de grande relevância, como o Bendegó, maior meteorito já encontrado no Brasil.

A intervenção no monumento histórico vai contemplar ações como a consolidação das alvenarias de pedra, mistas e de tijolos maciços autoportantes e dos vãos de portas e janelas, restauração das esquadrias, ferragens, gradis remanescentes, réplicas e novas portas, janelas, entre outros itens essenciais à restauração do monumento, um bem patrimonial tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

A execução das obras nos telhados do Paço contempla itens como o fornecimento e a instalação de tesouras metálicas, estrutura de contraventamento e sistemas de proteção contra descargas atmosféricas. A reativação das descidas de águas pluviais e a drenagem para um sistema de reuso também serão executadas. Além disso, as esculturas localizadas no coroamento (topo) do edifício serão conservadas e restauradas nesta fase da obra.

Frente Unida pelo Museu Nacional

A obra no valor de R$ 23,6 milhões será executada pela Concrejato Engenharia, empresa vencedora de licitação específica para esta etapa. Com mais de 40 anos de atuação nacional, a Concrejato é reconhecida por trabalhos de restauração de monumentos históricos, como os prédios da Biblioteca Nacional, Palácio Gustavo Capanema, Catedral da Sé de São Paulo, Cine Palácio, Biblioteca Mário de Andrade, Mosteiro de São Bento, entre outros.

O início das obras no Paço de São Cristóvão impulsiona ainda as estratégias de transparência e promoção do engajamento social na reconstrução do Museu Nacional/UFRJ. Além de acompanhar o andamento das obras no site do Projeto e os relatórios de desempenho no site da Associação Amigos do Museu Nacional (SAMN), a população também será convidada a interagir com a instituição por meio de vídeos, campanhas nas redes sociais e por meio do programa ‘Canteiro Aberto’, que prevê a realização de atividades para a promoção do patrimônio histórico ao longo do ano de 2022. 

“Este é um dia maravilhoso para nossa instituição e toda a sociedade brasileira. Muito nos orgulha iniciarmos as obras para devolver este que é o primeiro museu do Brasil o quanto antes, com a confiança de que os trabalhos serão conduzidos de maneira articulada com o desenvolvimento dos projetos de arquitetura, restauro, paisagismo e museografia; com apoio nacional e internacional. Apesar dos tempos sofridos que estamos vivendo, esta é uma data a ser comemorada por todos, especialmente aqueles que fazem ciência e cultura no Brasil”, destaca Alexander Kellner, diretor do Museu Nacional/UFRJ.

O Projeto Museu Nacional Vive é uma cooperação entre UFRJ, UNESCO e Instituto Cultural Vale e conta com apoio do BNDES, Bradesco, Vale, Ministério da Educação (MEC), Bancada Federal do Rio de Janeiro, Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e do Governo Federal, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.


LEIA TAMBÉM:

Cidades do Rio têm grande procura no Feriado

Firjan aponta superávit da balança comercial do Rio

Prefeitura abre licitação para recuperação da Orla Conde

 

 

 


/