Economia

Com a quarentena, supermercados do Rio têm alta nos negócios

Supermercados do Estado do Rio aumentaram seus negócios durante a pandemia e geraram mais de 2.000 vagas de emprego nos últimos 2 meses

22 de maio de 2020
Supermercados foram um dos setores que cresceram durante a pandemia. Serviços de delivery tiveram aumento de 114% (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Compartilhe essa notícia:


Um cenário bem diferente se desdobra para os supermercados do Rio durante a quarentena. Em um período de pandemia e crise econômica, em que lojas estão fechadas e funcionários sendo demitidos, os supermercados têm visto um aumento de vendas e a necessidade de contratação de novos trabalhadores.

Levantamento realizado pela ASSERJ (Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro) demonstra o crescimento do setor, principalmente com o aumento do delivery.

Desde o início da pandemia foram criadas quase 2.000 vagas de empregos em supermercados no Estado do Rio. Somente entre os dias 11 de março e 11 de abril foram abertas 1.000 vagas. O portal Vagas no Varejo, que oferece somente vagas no setor varejista, foi criado em parceria com a Asserj e lançado em 1º de maio. Foram mais de 4.000 vagas cadastradas e são esperadas outras 6.000 vagas.

Supermercados e o isolamento

O aumento registrado nas vendas dos supermercados associados a Asserj foi de 20% em comparação ao mesmo período do ano passado. Entretanto, 7% dos colaboradores das redes associadas foram afastados por fazerem parte do grupo de risco ou por sintomas da Covid-19. Essa medida vem sendo adotada, desde o início do isolamento, buscando diminuir a ameaça de contágio pelo novo coronavírus.


LEIA MAIS

Rio lança e-book para visitas virtuais a museus do Estado

Fampe: garantia do Sebrae abre R$ 12 bi em financiamentos

Chegou a live para quem ama Arte Urbana e quer um quadro


Os produtos mais procurados pelos consumidores são os de higiene e limpeza, alimentos congelados, água mineral, papel higiênico, carne, arroz, óleo, açúcar e leite.

O consumidor, que no início da pandemia chegou a lotar os supermercados com medo de desabastecimento, passou a agir de forma consciente, segundo a associação, diminuindo a ida aos estabelecimentos e evitando aglomerações. Entre os dias 12/04 e 11/05, a queda no movimento das lojas foi de quase 11% em comparação com o período anterior.

Houve crescimento de 114% nos serviços de delivery, com compras por telefone e e-commerce (vendas pela internet ou app). O presidente da ASSERJ, Fábio Queiróz, ressalta a importância desse tipo de serviço: “Esta é a melhor opção neste momento, principalmente para os idosos, que não devem se expor”.