Circuito Oriente: +7 razões para ir a Santa Teresa | Diário do Porto


Exposição

Circuito Oriente: +7 razões para ir a Santa Teresa

Veja roteiro dos setes pontos de exposição que levam ainda mais charme a Santa Teresa. Conheça obras e artistas do Circuito Oriente

4 de julho de 2019

Obra de Deborah Costa

Compartilhe essa notícia:


Esta semana o DIÁRIO DO PORTO vai quebrar o protocolo. Em vez de 5 DICAS para o fim de semana, vamos dar SETE. Todas no charmoso bairro de Santa Teresa. É o Circuito Oriente, com sete mostras inéditas de artes visuais a partir deste sábado, 6 de julho.

Quem completar o roteiro pode participar do sorteio de uma gravura original, de vale compras de R$ 150 na Loja La Vereda e de um jantar para duas pessoas no Restaurante Espírito Santa. Bastar pedir o passaporte Guia de Visitação, carimbar nos espaços visitados e participar de um sorteio. As exposições do Circuito Oriente vão até o dia 27 ou 28 de julho.

O Circuito Oriente movimenta os espaços Cine Galeria, Estudio Dezenove, Canto da Carambola, Ateliê dos Artífices, QTRAZ, LABPROA252 e Casa Amarela. A pauta do projeto é a arte contemporânea, com programa claro, de conceitos bem definidos, textos concisos e de fácil entendimento. O visitante experimenta a arte e participa de debates com os artistas e curadores no decorrer do mês de julho.

Vamos a um resumo das exposições:


Cine Galeria

 

Obra de Mariana Paraízo
Mariana Paraízo

Recém inaugurada no foyer do Cine Santa, será ambienta com a exposição “Fotograma por fotograma”. Com curadoria do fotógrafo Wilton Montenegro, a mostra tem como mote aspectos da obra da cineasta Agnès Varda, uma das precursoras do “nouvelle vague”. Nove jovens artistas abordam a relação entre o cinema e as artes visuais.

São eles: Alejandra Espinosa; Amanda Devulsky; Andréa Hygino e Luiza Coimbra; Érica Magalhães; Mariana Paraízo; Monica Coster; Samara Viana e Iamn.

Diariamente de 7 de julho a 15 de setembro de 11 às 21h.

Rua Paschoal Carlos Magno 136

T. 21 2222 0203 – www.cinecasal.com.br/cine-galeria


Estudio Dezenove

São duas exposições:

Instalação de Pedro Paulo Domingues
Instalação de Pedro Paulo Domingues

OVNI – Objetos Visuais Não Identificados, dos artistas Marco Cavalcanti e Pedro Paulo Domingues, tem curadoria de Osvaldo Carvalho. A definição da mostra é enigmática. Os dois artistas propõem ao espectador máquinas de fazer imaginar ao devaneio. “Movimentos ora positivos, ora negativos, mas em todo caso relativos quanto à sua permanência, numa tentativa de rompê-la em busca de uma força motriz que há por trás de tudo o que existe”, diz a apresentação.

Helio Fervenza
Helio Fervenza

Espessa transparência – de Hélio Fervenza, do Projeto Vitrine Efêmera, com curadoria de Gê Orthof. Tem também gravuras do artista Eber JC. O Vitrine Efêmera é um grande logotipo recortado em vinil branco adesivado no vidro, e outro, na parede do fundo da vitrine. Tal imagem provém das janelas dos ônibus, e o artista opera a visibilidade aos objetos de modo inverso: a transparência reverbera um efeito de invisibilidade.

Período: 7 a 28 de julho, mediante agendamento.

Travessa do Oriente 16/A   T. 21 2232 6572

www.estudiodezenove.com

https://www.instagram.com/estudiodezenove


Canto da Carambola

Obra de Flavio Santos
Obra de Flavio Santos

O artista Flávio Santos traz “Destruição & Construção”, onde divide um repertório de imagens em fragmentos (destruição) e reordena esses fragmentos em novas e diferentes imagens (construção). Mistura tudo com o auxílio de diversas mídias: fotografias publicitárias, de internet, de viagens, com um novo arranjo para sua pintura.

Período: 7 a 27 de julho mediante agendamento.

Rua do Oriente 123 – T. 21 2210 0289


Ateliê dos Artífices

Obra de Ju.Mendonça
Obra de Ju.Mendonça

Giraurbana, por Ju.Mendonça, traz uma série de trabalhos que têm como predominância a cor preta, uma busca e questionamento sobre as imagens das entidades apresentadas no sincretismo. A artista afirma que existem energias motivadoras e protetoras que acompanham os passos de cada ser caminhante na cidade, dia e noite. As energias são conhecidas e relacionadas aos Orixás.

Período: 7 a 28 de julho, de terça a domingo das 18 às 24h.

Largo das Neves, 4 T. 21 2572 1242/ 98119 7269


QTRAZ

 

Obra de João Duarte Waddington
João Duarte Waddington

Aqui estão os “Voos viscerais” de Ana Clara Guinle, Claudio Partes e João Duarte Waddington, com curadoria de Bruna Serpa França. Os três artistas ressignificam objetos selecionados, transformando-os formal e simbolicamente. As pinturas de Ana Clara Guinle carregam elementos do universo feminino, de seus sonhos e experiências. Claudio Partes exibe a série Alfaiates de Asas, uma crítica à sociedade por objetificar sonhos e relações. Waddington apresenta monotipias, trabalhos com materiais encontrados ou doados, como sacos plásticos e panos de chão.

Rua Terezina 12, Santa Teresa – RJ T. 21 979093726 / 21 990020644 arteqtraz@gmail.com


Labproa252

Trama
Trama

Trama – O evento reúne três exposições, dos artistas Carine Caz Forte, Cecilia Cipriano e Rodrigo Pinheiro, com curadoria de Gabriela Mureb. Elas entrelaçam individuais de  artistas formandos do Curso de Artes Visuais-Escultura da Escola de Belas Artes, da UFRJ. Os trabalhos foram desenvolvidos na disciplina Exposição, da professora Gabriela Mureb. O Laboratório de Processos Artísticos, da EBA/UFRJ, é coordenado pela professora Beatriz Pimenta.

Período: 7 a 27 de julho mediante agendamento.

Rua Monte Alegre 252 – labproa252@gmail.com


Casa Amarela

Obra de Deborah Costa
Obra de Deborah Costa

Apresenta a exposição Intervalo, com Deborah Costa. A partir de croquis de pessoas desconhecidas em trânsito, nas ruas, ônibus, metrôs, trens, a artista forma um repertório de memórias na pintura. Reverbera figuras únicas, suas expressões, seus olhares, interações. Leva a momentos de espontaneidade, fazendo-nos imaginar o que acontece entre uma e outra parada, entre o desenho e a pintura, entre as pinturas, entre nós.

Período: 7 a 28 de julho mediante agendamento.

Rua Hermenegildo de Barros 163 Tel. 21 99451-5768


Conheça os coordenadores

Julio Castro é artista visual e professor da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Com trajetória de exposições no Brasil e no exterior, participou da criação de vários projetos de fomento à arte no bairro de Santa Teresa, como o Arte de Portas Abertas, Circuito Oriente, Prêmio Interferências Urbanas, entre outros. É dono do Estudio Dezenove.

Ana Prado é formada em Arquitetura e Urbanismo e mestrada em Gestão do Espaço Urbano com o tema “Os Sentidos da Transformação – arte, cultura e espaço urbano em Santa Teresa”, onde aborda as transformações do bairro mediante o crescente uso dos espaços urbanos pelos artistas e suas interfaces a partir de três eventos: Arte de Portas Abertas, Interferências Urbanas e Coletivações. Atua desde os anos 2000 como colaboradora no Estudio Dezenove em produção de exposições e como artista em exposições coletivas.


VEJA TAMBÉM:

Galeria Providência: arte e público na primeira favela do país

Palco Carioca: do Metrô para o Rock in Rio

Arrepios num inverno tropical


/