Saúde

Cedae usa técnica chinesa, para desinfecção de favelas

Depois de ser criticada pela falta de água em comunidades, a Cedae contratou uma empresa especializada para a desinfecção, com o uso de nebulisadores

27 de abril de 2020
Agente de empresa contratada pela Cedae faz a desinfecção de ruas na Mangueira (foto: Cedae / Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Um produto que promete manter superfícies desinfetadas por 30 dias começou a ser usado para a sanitização de ruas, becos, escadarias e vielas de favelas do Rio de Janeiro, em complemento ao combate do coronavírus.

A ação é feita por agentes de uma empresa contratada pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), que vinha sendo criticada pela falta de água em comunidades, condição básica para a higiene dos moradores.

O início da campanha de desinfecção foi na última sexta-feira, 24, no Vidigal, e prosseguiu no sábado, na Chácara do Céu e Vila Parque da Cidade. Na segunda-feira, 27, na Barreira do Vasco, Mangueira e Tuiuti. No dia 28, Jacarezinho. No dia 29, Rio das Pedras. No dia 30, Cidade de Deus.

Até o fim desta semana, serão divulgadas as próximas comunidades. A desinfecção é realizada por agentes especializados, com uso de equipamentos de proteção individual (EPIs). São utilizados nebulizadores a frio para borrifar o produto, que contém quaternário de amônia de quinta geração e biguanida polimérica, produto usado para desinfectar áreas hospitalares.

Técnica chinesa

Segundo a Cedae, essa técnica e produto são os mesmos utilizados pelo governo chinês, em ruas daquele país. O produto age como uma película que mata os micro-organismos do local (vírus, bactérias, fungos e ácaros) e forma uma camada protetora que mantém a superfície desinfetada por um mês, dependendo da ação externa e circulação de pessoas.

A Companhia informou que mantém 250 trabalhadores do seu setor operacional apenas para atender demandas dos moradores de favelas. Entre 16 de março e 24 de abril, a empresa diz que realizou 1.730 atendimentos nessas áreas da cidade.

A desinfecção contratada pela Cedae ocorre ao mesmo tempo em que a Comlurb, companhia municipal de limpeza urbana, realiza a lavagem geral de ruas de comunidades, com água de reuso e detergente neutro. Segundo a empresa, a lavagem já ocorreu em cerca de 300 bairros e favelas.

 


LEIA MAIS:

Construtoras prometem descontos para imóveis residenciais

Marinha participa da desinfecção da Rodoviária do Rio

Porto do Rio quer aumentar movimento com navegação noturna