Cdurp inicia recuperação da Orla Conde | Diário do Porto


Infraestrutura

Cdurp inicia recuperação da Orla Conde

Empresa contratada pela companhia pública trabalhará no reparo aos danos no piso da Orla Conde, da Praça Marechal Âncora à roda-gigante Yup Star

11 de janeiro de 2022

Finalmente começaram as obras de recuperação da Orla Conde (divulação/Cdurp)

Compartilhe essa notícia:


A Prefeitura do Rio, via Companhia de Desenvolvimento Urbano do Porto Maravilha, iniciou a recuperação dos 3,5 quilômetros da Orla Prefeito Luiz Paulo Conde, no Porto Maravilha. A Cdurp contratou, via licitação, empresa especializada para reparar os danos no calçamento. Ao custo de R$ 1.989.000,00 serão recuperados calçadas, praças e vias de serviço do Boulevard Olímpico em toda sua extensão. O paisagismo será recomposto e mais de 300 novos balizadores serão instalados para coibir a circulação de veículos na Orla – principal causador dos danos no piso conforme o DIÁRIO DO PORTO mostrou em reportagem publicada em setembro:  https://diariodoporto.com.br/orla-conde-sofre-com-falta-de-cuidados. A expectativa é entregar a Orla renovada à população até o final de abril.


LEIA TAMBÉM:

China oferece bolsas em ciências para brasileiros

Alerj impede obras no Santos Dumont

Porto será cenário de nova novela das nove da Globo


Gestão anterior abandonou Orla Conde

O presidente da Cdurp, Gustavo Guerrante, explica que em 2021 a Prefeitura voltou a fazer a manutenção da Orla com apoio da Secretaria Municipal de Conservação. Agora a Cia. dá início à ação definitiva de recuperação de danos.

“Foram anos em que a gestão anterior não prestou atenção no Porto Maravilha. Não era uma prioridade. E é natural que o ambiente público se deteriore sem a devida manutenção. O que estamos fazendo agora é dar à Orla Conde o devido cuidado e para isso precisamos, neste primeiro momento, fazer uma intervenção de obra mesmo. Depois faremos a devida manutenção que este espaço merece.

Homens trabalhando no reparo do calçamento da Praça Mauá (divulgação/Cdurp)

Inaugurada por fases, a Orla Conde foi finalizada em agosto de 2016 e foi palco do Live Site dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 – quando ficou conhecida como Boulevard Olímpico. Hoje consolidada como ponto de encontro da população, tem mais de 10 equipamentos culturais entre o Museu Histórico Nacional e a roda-gigante Yup Star ao longo dos 287 mil m² de área. Prédios históricos e equipamentos culturais antes ofuscados pela Perimetral ganharam destaque e ficaram novamente de frente para a Baía de Guanabara, como a Igreja da Candelária, a Casa França Brasil e o Centro Cultural dos Correios. A esplanada mudou o perfil desta área do Centro cortada por vias de grande movimentação de veículos.

Em setembro, o DIÁRIO DO PORTO publicou uma reportagem mostrando que a Orla estava esburacada, com espaços para árvores vazios e com uma série de irregularidades no piso que colocavam pedestres, ciclistas e corredores em risco de queda e acidentes.

Os números da reforma na Orla Conde

210 novas árvores plantadas

1.500 m² de granito recompostos

3.000 m² de paisagismo recuperados

300 novos balizadores instalados

3.243 m² de vias de granito substituídas por pavimento de concreto intertravado (mais resistente)


/