Cartório inova com primeira procuração eletrônica do Rio | Diário do Porto


Inovação

Cartório inova com primeira procuração eletrônica do Rio

Primeira procuração eletrônica do Rio foi feita pelo 15º Ofício de Notas, na Barra. Medida é autorizada pelo CNJ, durante a pandemia do coronavírus

14 de abril de 2020

Paula Laport Ribeiro foi a primeira pessoa do Brasil que mora no exterior a usar uma procuração eletrônica para assinar documento no Rio (foto: Reprodução)

Compartilhe essa notícia:


Entrando para a história, o 15º Ofício de Notas, cartório na Barra da Tijuca, foi o responsável pela primeira procuração totalmente digital do Rio, que aconteceu no último dia 6. Com a pandemia do coronavírus, a busca por alternativas remotas cresceu e com autorização do Provimento 95/20 do Conselho Nacional de Justiça, todos os cartórios podem funcionar remotamente, com transações eletrônicas, até o final do período de isolamento social.

A procuração eletrônica foi solicitada pela brasileira Paula Laport Ribeiro, que há 25 anos, mora em Turim, na Itália. Para vender um imóvel no Rio de Janeiro, precisava do documento para que seu irmão, André, pudesse realizar a transação. Entretanto, o isolamento social que ainda está ativo na Itália também impede que Paula compareça ao Consulado brasileiro para solicitar o documento. Dessa forma, o provimento 95/20, assinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, acolheu perfeitamente a necessidade dos irmãos. Tudo foi feito em videoconferência reunindo as partes.


LEIA MAIS

Turismo perde R$ 14 bilhões no país e, no Rio, 5 mil empregos

Empresas privadas fazem doações para o combate ao coronavírus

Setor de transporte quer compensação por perder passageiros


O Provimento 95/20 foi assinado pelo ministro somente em 1º de abril, mas antes dessa data, o 15º Ofício de Notas já havia inovado com o atendimento pelo Whatsapp e e-mail. Entretanto, o que mais chamou a atenção do público foi o atendimento via drive thru, forma presencial, na qual os clientes não precisavam sair do carro para serem atendidos. Essa medida foi uma saída para manter o distanciamento social entre funcionários e clientes e resolver as pendências necessárias, até mesmo casamentos foram realizadas pelo sistema drive thru do cartório.