Carnaval do Rio movimenta R$ 4 bilhões | Diário do Porto


Carnaval

Carnaval do Rio movimenta R$ 4 bilhões

Prefeitura apresenta dados econômicos do Carnaval e lança censo inédito de trabalhadores da folia que foi adiada para abril na Marques de Sapucaí

20 de fevereiro de 2022

Nova lei quer mapear e disciplinar a emissão de barulho, como as de blocos de Carnaval (Foto: Câmara de Vereadores / Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Um levantamento inédito da Prefeitura do Rio mostra que o carnaval carioca movimenta R$ 4 bilhões na economia da capital. O número foi apresentado durante o seminário Carnaval de Dados, no Palácio da Cidade. O evento contou, também, com o lançamento de um mapeamento dos trabalhadores que dependem da festa e fazem o maior espetáculo da Terra acontecer.

“Sempre olhamos o Carnaval como uma festa, uma celebração, um momento de diversão. Mas ainda há pouca reflexão sobre o que significa o carnaval de fato. E passamos a viver no Brasil um movimento de setores conservadores para acabar com o carnaval. Nós tivemos um agente político, durante quatro anos, trabalhando permanentemente para desmoralizar a folia. E nem pensava na economia. Vamos ter carnaval, vamos defender essa grande celebração pelo aspecto econômico e pelo aspecto cultural – disse o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Carnaval tem 43 mil trabalhadores em 75 ocupações distintas

A iniciativa, liderada pela Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento, e coordenada pela Fundação João Goulart, busca conhecer o perfil de quem depende da data para trabalhar. A expectativa é de imediato disponibilizar um questionário para 43 mil trabalhadores de escolas de samba e blocos de rua, como soldadores, aderecistas, ritmistas e ambulantes. Levantamento inicial da fundação já identificou 75 diferentes ocupações relacionadas à festa.

No evento, foi apresentado o Relatório Carnaval de Dados, levantamento feito em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, que reforça a importância econômica da festa, que em 2020 movimentou R$ 4 bilhões, o dobro do valor registrado dez anos antes.

No estudo foi comprovado que a receita com ISS de serviços relacionados ao turismo é maior nos dias de folia do que em qualquer outra época do ano, chegando a R$ 25 milhões em fevereiro. A média mensal é de R$ 21 milhões. Durante o seminário, foi discutido ainda o papel da festa como ferramenta de desenvolvimento econômico e seus caminhos para o futuro.

“Esses números mostram como o carnaval também é desenvolvimento econômico, com um impacto gigantesco na economia da cidade. De acordo com estimativas da Confederação Nacional de Comércio, o Rio foi responsável por um terço das movimentações financeiras das atividades turísticas relacionadas ao carnaval no país, em 2020”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Chicão Bulhões, lembrando que a Prefeitura já lançou o programa Auxílio Ambulante Carnaval de Rua, um apoio de R$ 500 para os ambulantes que trabalham no carnaval de rua.

Outra novidade foi o anúncio do Samba Pass, projeto da Secretaria Municipal de Esporte que oferece inicialmente 100 vagas para mestre-sala, porta-bandeira e integrantes de comissão de frente das escolas realizarem atividades físicas na Vila Olímpica da Gamboa.


LEIA TAMBÉM:

A condição feminina

Parlamentares do Rio buscam ajuda para Petrópolis

Fundação Boticário premiará projetos para Baía de Guanabara


/