Caixa Econômica teve recorde em crédito imobiliário, em 2020 | Diário do Porto


Economia

Caixa Econômica teve recorde em crédito imobiliário, em 2020

Em 2020, a Caixa Econômica contratou R$ 116 bilhões em crédito imobiliário, o maior valor dos últimos 6 anos. Banco teve lucro de R$ 13,1 bilhões

18 de março de 2021

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou o desempenho do banco em 2020 (foto: Agência Brasil / Marcelo Camargo)

Compartilhe essa notícia:


A Caixa Econômica Federal contratou, em 2020, R$ 116 bilhões em operações de crédito imobiliário, o maior valor dos últimos 6 anos. Com o resultado, a carteira de crédito imobiliário da Caixa chegou a R$ 510,6 bilhões em dezembro do ano passado, com alta de9,8% na comparação com dezembro de 2019.

Durante 2020, a Caixa teve participação de 68,8% no volume total de financiamento imobiliário no país, realizando cerca de 66 milhões de simulações e 2,8 milhões de avaliações de crédito.

Após o agravamento da pandemia do novo coronavírus, no ano passado, a Caixa decidiu que os clientes poderiam pausar o pagamento dos contratos imobiliários. Até dezembro, a quantidade total de contratos pausados chegou a 2,5 milhões, totalizando R$ 2,3 bilhões em parcelas não pagas. No início deste mês, 99,4% dos contratos pausados em 2020 já tinham seus pagamentos retomados.

Caixa Econômica teve lucro de R$ 13,1 bilhões

A Caixa informou que teve lucro de R$ 13,1 bilhões em 2020, apresentando queda de 37,5% em relação ao ano anterior. O resultado foi muito influenciado pelo desempenho no quarto trimestre do ano passado, quando o lucro contábil consolidado de R$ 5,6 bilhões representou uma alta de 200% em relação ao trimestre anterior.

As provisões para devedores duvidosos ficaram em R$ 2,6 bilhões no último trimestre de 2020, com aumento de 63,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. A inadimplência ficou em 1,73% em dezembro passado, contra 2,17% em dezembro de 2019.

Crédito para PJ na Caixa Econômica cresceu 83,7%

A Caixa apontou ainda que sua carteira de crédito comercial para pessoa jurídica cresceu 83,7% em 2020, para R$ 70,9 bilhões. Segundo a Caixa, o crescimento da carteira PJ foi puxado pelas linhas para micro e pequenas empresas, com destaque para os R$ 15,6 bilhões concedidos por meio do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

Na linha de crédito amparada pelo Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe), foram contratados R$ 2,5 bilhões. Essa modalidade conta com o crédito assistido do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).


LEIA TAMBÉM:

Rio segue tendência e regulamenta aplicativos de transporte

BioParque do Rio abre para o público na segunda-feira (22/3)

Cassinos: legalização é prioridade no Congresso