Caixa Cultural apresenta culturas indígenas em belas fotos | Diário do Porto


Exposição

Caixa Cultural apresenta culturas indígenas em belas fotos

Fotos de Renato Soares retratam o universo dos índios do Xingu. Em cartaz de 26 de outubro a 22 de dezembro na Caixa Cultural

22 de outubro de 2019

Exposição na Caixa Cultural começa dia 26

Compartilhe essa notícia:


A Caixa Cultural Rio de Janeiro abre no sábado 26 de outubro a exposição Ameríndios do Brasil – Antropologia da Beleza, do fotógrafo e indigenista Renato Soares.  São 40 fotos de expedições fotográficas que já levaram o artista mineiro a mais de 44 localidades, de norte a sul do País.

A identificação com o universo indígena é antiga. Renato Soares é fotógrafo e documentarista e, desde 1986, realiza viagens para retratar a expressão cultural do país e a identidade dos povos indígenas. Sua profunda amizade com o sertanista Orlando Villas Boas, quem conheceu nos anos 80, contribuiu para inserir a cultura e os costumes indígenas na essência do seu trabalho.


VEJA TAMBÉM:

Passaporte Cultural da Alerj dá entrada grátis e descontos

Olga de Mello: ‘Os dias duros da infância’

Av. Marechal Floriano vai brilhar com Linha 3 do VLT


 

A dedicação à causa se fortaleceu há dez anos, quando Renato Soares criou o projeto Ameríndios do Brasil. Nele, registrou as 305 etnias indígenas do país. Ao revelar aspectos únicos da sua convivência com esses povos, o indigenista quer torná-los mais conhecidos do público para que sejam ouvidos e respeitados.

Renato Soares registra tradição dos povos originários do Brasil

“Eu procuro retratar desde o cotidiano, aos rituais, o mundo dos pajés, a força, a magia, sua arte corporal e até mesmo os objetos como colares ou cocares. O mundo deles. Procuro retratar o que o outro tem de melhor, e não as coisas incorporadas da nossa sociedade, que também aparecem, mas eu procuro evitar um pouco isso, porque em verdade o que quero mostrar é um ser humano com respeito à sua própria cultura”, destaca Renato Soares.

A documentação fotográfica da População Indígena do Brasil já figurou em exposições históricas como “O Último Kuarup” (Masp/ 2006) e a mostra itinerante “A Última Viagem de Orlando Villas Bôas”, que percorreu 12 capitais brasileiras. Suas fotos são usadas em livros didáticos, de arte, editoriais, palestras e conferências interativas. Além de resultar nas exposições fotográficas, e produções audiovisuais, com uso de tecnologias virtuais e outras mídias. A obra fotográfica fez parte de uma coletiva no em Paris, no Palais de la Découvert.

Outra economia para os índios

O projeto “Ameríndios do Brasil” tem como objetivo não apenas o registro das culturas originárias, mas também a geração de renda para as comunidades. Um terço do que o fotógrafo comercializa é destinado ao pagamento das etnias retratadas.  “Em comum acordo com as associações, a Imagens do Brasil, através de um contrato de cessão de direitos de uso de imagem, negocia as fotos no mercado e, mensalmente, repassa os valores das vendas para as comunidades”, declara.

Crianças indígenas do Xingu

A exposição é uma realização da produtora amazonense Dabacuri Projetos e Produções, com patrocínio da CAIXA e do Governo Federal. A abertura da mostra ocorre a partir das 16h e contará com a presença do fotógrafo para um bate-papo com o público sobre suas viagens realizadas nos últimos 25 anos.


/