Saúde

Ônibus não pode ter passageiro em pé, mas BRT descumpre

No primeiro dia do decreto da Prefeitura, BRT e ônibus comuns continuaram com passageiros em pé e superlotação. Metrô intensifica limpeza dos trens

18 de março de 2020
Os ônibus e o BRT no Rio não podem circular superlotados, com passageiros em pé (foto: BRT / Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A Prefeitura do Rio de Janeiro decretou situação de emergência na saúde e instituiu medidas buscando a redução do contágio pelo coronavírus. Dentre elas, a determinação de que ônibus convencionais e do BRT somente poderão transitar com passageiros sentados.

Porém, no primeiro dia de vigência das normas, o próprio Consórcio BRT Rio admitiu dificuldade para cumprir o decreto e seus ônibus continuaram a circular com a quantidade de passageiros acima da capacidade. Segundo a empresa, somente nos terminais Alvorada e Jardim Oceânico, na Zona Oeste, a medida foi cumprida, com o apoio da Guarda Municipal e da SMTR (Secretaria Municipal de Transportes).

O decreto também define que os ônibus com ar condicionado estão autorizados a desligá-los e a circular com as janelas abertas. Além disso, antes do início de cada viagem, é obrigatória a realização da desinfecção interna dos veículos. Também estão suspensas a concessão de gratuidade no transporte de estudantes da rede pública e do Passe Livre Universitário, durante o período sem aulas.

Embora tenha havido redução do número de passageiros nos ônibus convencionais em quase todas as regiões da cidade, nos bairros da Zona Oeste, principalmente no horário de volta para casa, os passageiros enfrentaram veículos lotados e com grandes intervalos. Os usuários também reclamam que não está sendo feita a higienização dos veículos antes de cada viagem.

Metrô

O MetrôRio informa que desde a última semana, equipes de limpeza estão atuando embarcadas nas composições durante a operação, limpando, também durante as viagens, as áreas comuns no interior dos trens com álcool em gel e produto bactericida.

A limpeza é realizada nos bancos, pisos, tetos, balaústres, paredes e vidros de todas as composições. Já nas estações, os funcionários também reforçaram a higienização das áreas de contato comum, como as máquinas de autoatendimento, máquinas da RioCard, caixas 24h, corrimãos das escadas fixas e volantes, bilheteria, catracas e banheiros, além de espaços de uso dos colaboradores.

 


LEIA MAIS:

Hospital de campanha no Riocentro terá 500 leitos

Rio suspende ônibus intermunicipais e para outros Estados

Para combater vírus, roda gigante Rio Star paralisa atividades