Inovação

Bienal do Livro Rio se torna permanente, em ambiente digital

Na internet, a Bienal do Livro começou com a edição do Café Digital, espaço para discussão de temas de impacto. Evento presencial continuará existindo

18 de junho de 2020
Emicida, Lázaro Ramos, Gabriela Priori e Nanda Costa conversam no Café Digital, na versão online da Bienal do Livro (foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A Bienal Internacional do Livro Rio continuará sendo realizada a cada dois anos, como há 4 décadas, mas agora também ganha uma versão online, consagrando um novo espaço para a promoção da leitura, cultura e discussão sobre diversos temas.

A estreia online começou com a adaptação para a internet do Café Literário, que nos eventos presenciais recebe as discussões mais densas e aprofundadas sobre temas de impacto. Além desse espaço para debates, haverá também um market place, para que livrarias e fornecedores possam levar seus produtos e livros ao público.

O Café Literário foi rebatizado de Café Digital, e o primeiro evento foi no último dia 10 de junho, com o jornalista e mestre em relações internacionais, Guga Chacra. Ele conversou sobre fake news com a curadora da Bienal Letícia Pires, escritora, realizadora audiovisual e mestre em literatura, cultura e contemporaneidade.

“O Café Digital receberá autores e personalidades para bater um papo sobre temas relevantes para a sociedade, em que o livro é o fio condutor. O convidado vai conduzir a conversa de forma bem leve. Nos inspiramos em programas norte-americanos, como o Seinfeld, onde o convidado é chamado para dar uma volta de carro, tomar um café e bater papo”, conta Bruno Henrique, gerente de marketing e conteúdo da Bienal do Livro Rio.

A próxima atração do Café Digital, transmitido ao vivo pelo perfil da Bienal do Livro Rio no Instagram, é o ator, apresentador, dublador, cineasta e escritor de literatura infantil Lázaro Ramos, dia 26. O cantor Emicida e a comentarista política Gabriela Priori estarão na programação de julho.

Bienal do Livro continuará presencial

O projeto de transformar a Bienal em um hub de conteúdo sobre cultura, sociedade e mercado literário começou com o Canal Bienal – uma plataforma dentro do site do evento, onde o público pode assistir na íntegra todos os painéis da última edição. No entanto, o novo formato vinha sendo desenhado há um ano e ganhou mais força devido ao momento atual.

“O evento continuará existindo no formato que o público conhece há quase 40 anos, mas agora estará presente na vida das pessoas todos os dias. Esse era um desejo nosso há bastante tempo e também dos visitantes, que sempre nos perguntavam o motivo de só fazer a cada dois anos; uma vez que há tanto conteúdo nacional e internacional para conhecer e debater”, explica Tatiana Zaccaro, diretora da GL events, responsável pela direção-geral do festival.

 


LEIA MAIS

Docas do Rio começa a informatizar acesso ao Porto

Fecomércio RJ: 39% pedirão empréstimo em junho

Guia do Mercado Imobiliário orienta quem quer investir em imóveis