Biblioteca Estadual é reaberta para Salão Carioca do Livro | Diário do Porto


Cultura e Lazer

Biblioteca Estadual é reaberta para Salão Carioca do Livro

Cerca de 95 mil pessoas são esperadas no evento, de 17 a 20 de maio. A ideia é que, depois, o equipamento cultural da Avenida Presidente Vargas (foto), fechado desde 2016 por falta de recursos do governo, volte a funcionar com investimento da Eletrobrás.

17 de maio de 2018



Compartilhe essa notícia:


A Biblioteca promove também experiências com oficinas, laboratórios e plataformas multimídia. Foto: Divulgação

A 2ª edição do LER – Salão Carioca do Livro, que chegou a ser anunciada para o Pier Mauá, no Porto Maravilha, foi transferida para outro espaço. Mas por uma boa causa: a provável reabertura da Biblioteca Parque Estadual, na Avenida Presidente Vargas, fechada desde novembro 2016 por falta de recursos do Governo do Estado. A ideia é agitar o local com 95 mil visitantes durante o evento – de 17 a 20 de maio – para que, em seguida, volte a funcionar regularmente.

Para viabilizar a biblioteca, o governo do Estado está para assinar convênio com a Eletrobrás ainda este mês. A previsão é de que a operação do espaço seja bancada pela estatal federal que, em troca, instalará no mezanino da biblioteca a sede da Memória da Eletricidade, entidade cultural que tem como objetivo preservar a história da implantação e do desenvolvimento da indústria da eletricidade no país.

“Ter a segunda edição da LER na reabertura da Biblioteca Parque é um privilégio. O evento é totalmente gratuito, estimula a leitura e o conhecimento e democratiza a relação entre leitores e autores. A Secretaria de Cultura e o Governo do Estado estão orgulhosos de poder devolver a Biblioteca para a população, abrindo as portas com esse evento tão grandioso”, afirma Leandro Sampaio Monteiro, secretário de Cultura do Estado do Rio.

Biblioteca na Avenida Presidente Vargas estava fechada por falta de recursos do Governo do Estado desde 2016. Fotos: Reprodução Facebook

O Salão apresenta oficinas, saraus, contação de histórias, exposições e bate-papos com autores. “Vejo a LER como uma grande oportunidade para recuperarmos o que tem se perdido ultimamente: o diálogo, a troca de ideias, a inspiração mútua. Em tempos de polarização radical, tentei trazer para as mesas da LER toda uma gama de pontos de vista diferentes, com leitores de todos os perfis e origens. Para que todos possam ver o que temos em comum, mas também possam apreciar e aprender com as diferenças para, quem sabe, construir e criar juntos. Também me orientei pelo lema “O festival do leitor”, dando protagonismo a quem lê, e marcando o evento uma grande celebração”, afirma o curador do evento, Julio Silveira.

Os espaços da LER 

Café do Livro – Um dos destaques da programação, apresentará bate-papos entre autores com perspectivas diferentes sobre criação, história, política e identidade. Entre os nomes confirmados estão: Conceição Evaristo, Eduardo Spohr, Fernanda Young, Thalita Rebouças, Jorge Caldeira, Geovani Martins, André Vianco, Marcia Tiburi, Maria Valéria Rezende, Miriam Leitão, Cristóvão Tezza, Arthur Dapieve e Luiz Antônio Simas.

Palco da Palavra – Serão realizadas apresentações individuais ou entrevistas sobre um tema ou uma obra com a presença de pensadores e criadores. Apresentações, palestras e lançamentos de livros, com nomes como Nei Lopes, Heloísa Buarque de Holanda e Marcelo Janot.

Espaço Cesgranrio – com a curadoria do próprio Centro Cultural Cesgranrio, trará para o público diferentes tipos de intervenções. A apresentadora Glória Maria, por exemplo, conduzirá o debate sobre o protagonismo negro nas artes. Importantes autores da TV, como Duca Rachid, Cláudia Souto e Daniel Berlinsky falarão sobre seus processos criativos. Artistas de renome também confirmaram presença: Andrea Beltrão, Armando Babaioff e Amir Haddad farão uma leitura comentada de obras de Shakespeare. Já Cissa Guimarães, Johnny Massaro, Jônatas Faro e Cláudia Ohana se reunirão para declamar e comentar suas poesias preferidas. Paulo Betti fará palestra sobre a adaptação literária para o cinema e Elisa Lucinda falará sobre Literatura e empoderamento. Ruy Castro, Márcia Tiburi, Ailton Krenak, Martinho da Vila e Conceição Evaristo são alguns entre outros importantes nomes que farão palestras.

Espaço Infantil – Com curadoria de Verônica Lessa e Volnei Canônica, apresentará atividades durante todo o evento para o público mirim. “Pensamos em um espaço voltado para a criação e a imaginação, com cerca de 30 autores que representam a diversidade dos gêneros e a criatividade da literatura infantil brasileira”, declara Verônica. Entre as atividades estão: oficina de ilustração, sarau e curtas de animação de livros infantis. O clube de leitura Quindim terá uma livraria temática no local.

Espaço #JOVEM – Terá a presença de Elika Takimoto, Eduardo Marinho, André Dahmer, Octavio Aragão e mais 47 artistas independentes do mundo dos HQ’s. Além de cosplayers, oficinas de caricaturas, storyboards, roteiro, desenho e animação.

Bancos em forma de livro fizeram sucesso na LER passada e foram doados para bibliotecas públicas do Rio.

A LER realizará ainda um sarau na área externa com a presença de artistas da periferia; o Salão do Livro, com livrarias cariocas e editoras independentes; o Salão Digital, assinado pela Amazon, com uma agenda de palestras sobre o mundo digital na literatura; exposição da artista plástica Susi Cantarino; rodas de leituras com a Academia Carioca de Letras; troca-troca de livros e muito mais!

Todas as atividades são gratuitas e terão inscrições prévias através do site, mas também receberão os visitantes na hora. Está confirmada ainda a participação de escolas e a campanha “Doe um Livro”, que vai arrecadar exemplares para as instituições de ensino do Estado.

“A LER – Salão Carioca do Livro foi criada para elevar a paixão pela leitura em todas as idades e de forma interativa. O evento reúne todos os agentes da cadeia do livro e da economia criativa, além de fortalecer o livro e a leitura, trazendo e trocando conhecimentos durante seus quatro dias de realização”, explica Jerônimo Vargas, diretor do evento.

A primeira edição do Salão, em novembro de 2016, no Píer Mauá, recebeu 84 mil pessoas. Ao longo de quatro dias, o público teve acesso gratuito a encontros e bate-papos com 115 escritores convidados, livrarias cariocas e editoras independentes e artesanais, sebos, 34 performances poéticas, 8 peças teatrais, 43 oficinas e 32 atrações paralelas.


/