Estado do Rio é 5º melhor para empresas, mas sofre com impostos | Diário do Porto

Empresas

Estado do Rio é 5º melhor para empresas, mas sofre com impostos

Ranking de ambiente de negócios do Banco Mundial coloca Estado do Rio na 2ª posição em Registro de Propriedades e em 25º em Pagamento de Impostos

16 de junho de 2021


O novo secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio, Vinicius Farah, e o governador Cláudio Castro (foto: Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


O Estado do Rio de Janeiro ficou com a quinta posição no ranking do “Doing Business Subnacional Brasil 2021”, relatório divulgado pelo Banco Mundial que avalia o ambiente de negócios para pequenas e médias empresas nos 26 Estados e no Distrito Federal. As primeiras posições foram ocupadas por São Paulo, Minas Gerais, Roraima e Paraná.

De acordo com o estudo, o Estado do Rio de Janeiro ocupa hoje a segunda posição em termos de Registro de Propriedades, mas é o 25ª em Pagamento de Impostos, o que evidencia a dificuldade das empresas para lidar com a carga tributária do Estado, o que diminui sua capacidade concorrencial.

O Rio tem ainda a sexta colocação em Abertura de Empresas, a oitava em Obtenção de Alvarás de Construção e a 18ª em Execução de Contratos. O estudo contou com o apoio do Sebrae, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

“O estudo global chega num momento crucial em que os segmentos econômicos foram altamente abalados pela pandemia. Já reduzimos o tempo de abertura de empresas e facilitamos o acesso ao crédito. Outras medidas serão implementadas ainda neste ano”, disse o novo secretário de Desenvolvimento Econômico, Vinicius Farah.

Na Junta Comercial do Rio de Janeiro (Jucerja), o tempo para a abertura de empresas em 2021 pode chegar a 46 minutos. Em janeiro, foi registrado o tempo de 36 minutos. A Jucerja também vem batendo, desde fevereiro, recordes de abertura de novas empresas. Foram 4.720 novos negócios em fevereiro. Em março, o número chegou a 5.862. Em abril foram registradas 4.764 aberturas e, em maio, 5.308. Nos cinco primeiros meses, o número total já ultrapassou 24 mil novas empresas.

Sebrae quer incentivar Estado do Rio a subir no ranking

“Sabemos que ainda é necessário mais incentivos e estratégias para subir ainda mais nesse ranking. Por isso, permanecemos nessa parceria que visa apoiar e orientar Governos, estaduais e municipais, e empreendedores a seguir com as boas práticas para inovação e empreendedorismo”, avaliou o diretor-superintendente do Sebrae Rio, Antonio Alvarenga.

Para o governador Claudio Castro, a melhoria do ambiente de negócios em todo o Estado do Rio de Janeiro é um compromisso. “Temos como prioridade absoluta a implementação de ações que estimulem e valorizem o empreendedor fluminense. O conhecimento desses indicadores são fundamentais para a definição e adoção de políticas públicas e medidas para melhorar o ambiente de negócios no Estado”.

Para a diretora do Banco Mundial no Brasil, Paloma Caseiro, o relatório chega em um momento crucial: “O estudo é de grande importância para o Brasil avançar na agenda de ambiente de negócios, destacando a necessidade da colaboração entre o Governo Federal, Estados e municípios “.


LEIA TAMBÉM:

‘Não somos cobaias’, reage Paquetá a Carnaval fora de época

Sesc RJ na Estrada mostra belezas do berço de Nova Iguaçu

Nissan faz pesquisa para carro elétrico à base de etanol