Bacia de Campos tem promessa de R$ 13,2 bi em investimentos | Diário do Porto


Investimentos

Bacia de Campos tem promessa de R$ 13,2 bi em investimentos

Novas empresas petrolíferas irão investir na Bacia de Campos, em áreas de exploração que não mais interessam à Petrobras, que reforça seu foco no pré-sal

28 de maio de 2021

CPI da Alerj estima que Estado deixou de arrecadar R$ 20 bilhões em royalties de petróleo e gás na última década (Firjan/Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Municípios produtores de petróleo e gás da Bacia de Campos poderão ser beneficiados com novos investimentos de empresas que adquiriram campos anteriormente explorados pela Petrobras. Estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) aponta que nesses campos as empresas vão investir pelo menos R$ 13,2 bilhões no desenvolvimento da produção.

A multinacional Tridenty Energy, com base em Macaé, arrematou 10 campos de petróleo, com previsão de R$ 5,6 bilhões em investimentos. Também com base em Macaé, a franco-britânica Perenco assumiu 3 campos, onde prevê investimentos de R$ 1,1 bilhão. A empresa pretende instalar uma nova plataforma flutuante de armazenamento e transbordo, no segundo semestre do ano que vem.

Entre os campos de petróleo adquiridos pelas empresas, a Perenco é responsável por um dos que correspondem à geração de royalties para Macaé e outros 2 para Campos dos Goytacazes. Já a Tridenty, por 6 em Campos e 8 em Quissamã. Além delas, a Petronas e a PetroRio vão explorar, cada uma, um campo com geração de royalties para Campos. A maior parte corresponde a campos maduros, que são aqueles que já passaram do auge da sua capacidade de produção e não interessavam mais à Petrobras.

Bacia de Campos terá recuperação de campos maduros

“A entrada de novas empresas com expertise na recuperação de campos maduros traz benefícios para todos os envolvidos no mercado de petróleo e gás. Isso acelera os investimentos e o processo de recuperação da Bacia de Campos, prolongando, assim, a produção e os efeitos multiplicadores na região. E isso significa também mais royalties e mais empregos em todas as atividades ligadas direta ou indiretamente a este mercado”, explica Thiago Valejo, coordenador de Conteúdo de Petróleo, Gás e Naval da Firjan.


LEIA TAMBÉM:

Cassinos são apoiados pela Frente do Turismo

Incentivo ao Galeão é comemorado pela Firjan e ACRJ

Mesa Brasil Sesc RJ atua contra a fome e o desperdício


35 áreas petrolíferas à venda na Bacia de Campos

O plano de desinvestimentos da Petrobras na Bacia de Campos visa reduzir sua dívida e estimular a entrada dos investidores, possibilitando que a estatal foque na exploração dos campos do pré-sal, mais rentáveis. Ao todo, 35 campos da Bacia de Campos foram colocados à venda, boa parte deles dedicados ao descomissionamento – desativação de antigas estruturas de exploração que, por estarem obsoletas, acabam gerando grandes gastos de manutenção. Mas há também, por exemplo, o campo Maromba, arrematado pela BW Offshore, que terá o primeiro óleo retirado em maio de 2022.

“O movimento diversifica o mercado de óleo e gás, e assim ganhamos novos protagonistas ao lado da Petrobras. A presença de todas elas enriquece o mercado e a região, trazendo o dinamismo que nós precisamos para incrementar as atividades econômicas e sociais, gerando emprego e renda para todos”, destaca o coordenador da Comissão Municipal da Firjan em Macaé, Gualter Scheles.

A Firjan destaca que a concretização de desinvestimentos da Petrobras na Bacia de Campos promove a abertura do mercado de exploração de petróleo e gás para outras companhias, revelando um horizonte de oportunidades para a região.