Empresas do Porto buscam self storage | Diário do Porto


Comércio

Empresas do Porto buscam self storage

Procura de pequenas e médias empresas por serviço de self storage cresceu 15% em 2020. Negócios do Porto seguem a tendência

19 de agosto de 2021

Moby Self Storage do Porto teve aumento na locação de boxes por empresas (divulgação)

Compartilhe essa notícia:


O crescimento das vendas pela internet no Brasil durante a pandemia tem impulsionado a procura pelos self-storages – espaços de armazenamento costumeiramente utilizados no país como guarda-móveis. Com o crescimento do e-commerce e a readequação das casas para home office, tem sido cada vez mais procurado por empresas. Em 2020, o setor teve aumento médio de 15% na demanda corporativa.

A utilização de galpões de armazenamento dá fôlego aos pequenos e médios varejistas, que pelo custo atrativo os utilizam como estoque para depositar os mais variadores itens, desde mobília de escritório, materiais de construção até bebidas e gêneros alimentícios não perecíveis

A Moby Self Storage, um dos principais players desse mercado, registrou um aumento de 60% em seu faturamento em 2020. Os segmentos de negócios que mais utilizam o serviço são distribuidores de bebida, material de construção e empresas de logística.

A unidade Porto Maravilha hoje tem 70% dos boxes ocupados por clientes pessoa física e 30% por empresas de pequeno e médio porte. Houve um crescimento de 5% no segmento pessoa jurídica na pandemia. Empresas da Região Portuária procuraram o self storage para armazenar mobília de escritório, pois entregaram seus espaços provisoriamente para a adoção do trabalho remoto, o home-office. Há um indicativo de que podem retornar aos seus espaços uma vez que a vacinação avance e a pandemia seja controlada.


LEIA TAMBÉM:

Caixa bate recordes de lucro e em poupanças sociais

Empresários mais confiantes, aponta Fecomércio RJ

Projeto quer Providência digna, digital e desenvolvida


Self Storage 2.0

Esses galpões também contribuem para reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa, uma vez que favorecem a diminuição do transporte de cargas no trânsito e o desperdício por muitos objetos e mercadorias que seriam descartados por falta de espaço.

“O self-storage virou 2.0 por ter entendido a nova necessidade do cliente de ter esses espaços bem próximos às suas casas ou aos seus negócios. Pensando nisso, acabamos de inaugurar mais unidade na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A expansão para os centros urbanos faz parte do plano de negócios da companhia, que pretende, investir R$ 400 milhões no Brasil até o final de 2021”, conta Peer Buergin, sócio da Prolifico Group – organização controladora da Moby Self Storage

Atualmente, a Moby com unidades no Porto Maravilha, São Cristóvão e a recém-inaugurada na Barra da Tijuca, no Rio, e em São Paulo no bairro da Vila Leopoldina. Para 2022, estão previstas inaugurações de unidades no Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro, e no Butantã, em São Paulo.