Arcos da Lapa quase prontos para cariocas e turistas | Diário do Porto


Turismo

Arcos da Lapa quase prontos para cariocas e turistas

Previsão da Prefeitura é devolver aos cariocas os Arcos da Lapa revitalizados no início de junho. Saiba como é feito o trabalho da Secretaria de Conservação

5 de maio de 2022

Os Arcos da Lapa, um dos mais conhecidos cartões postais do Rio, estão quase prontos (Fabio Motta/Prefeitura)

Compartilhe essa notícia:


Falta pouco para o Rio ter de volta um dos seus símbolos mais simpáticos. A prefeitura do Rio entrou na reta final da revitalização dos Arcos da Lapa. As obras, sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Conservação, incluem raspagem, limpeza e aplicação de cal. A previsão é que, no início de junho, os Arcos tenham recuperado o tom intenso de branco que chama a atenção na paisagem carioca.

O serviço é da Gerência de Monumentos e Chafarizes e está orçado em R$ 1,3 milhão. Começou com a remoção de pichações e do limo por conta da umidade e inclui alpinistas industriais. Eles ficam pendurados a mais de 17 metros do chão para alcançar a parte superior da estrutura, fazendo decapagem com espátula e escova de aço. Na sequência, é aplicada a massa e feita a caiação.

Segundo a secretária de Conservação, Anna Laura Valente Secco, os Arcos não passavam por uma revitalização desse porte há mais de cinco anos. “Estamos trabalhando em um bem tombado, que é muito amado pelos cariocas e uma das atrações mais visitadas por turistas do mundo inteiro. Zelar por nossos monumentos é preservar a história da nossa cidade e do povo carioca”, diz ela.

 


LEIA TAMBÉM:

Palácio Pedro Ernesto é o1º prédio público Lixo Zero do Brasil
Dolores Club: a nova casa de jazz e bossa nova do Rio
Teatro II do CCBB faz “Viagem ao Centro da Terra”

A revitalização dos Arcos da Lapa é executada de cima para baixo, sempre em duas faces ao mesmo tempo. A parte mais perto do chão, até dois metros de altura, é deixada para o fim. O branco vem da cal virgem, que permite que o monumento respire e não se deteriore por trás da pintura. É a mesma técnica da época da construção do aqueduto, que, por ser tombado, precisa ter suas características originais preservadas.

A área ao redor dos Arcos da Lapa, como o pavimento da Praça Cardeal Câmara e o passeio em pedras portuguesas do entorno, também está sendo recuperada. Os dois painéis do artista Selarón passam por manutenção, com pichações removidas.

História dos Arcos da Lapa

Inaugurado em 1750, o Aqueduto da Carioca, hoje Arcos da Lapa, foi a maior obra de engenharia no Brasil no século XVIII. Sua construção, em estilo romano, é feita em pedra e cal, medindo 270 metros de comprimento e 18 de altura, distribuídos em 42 arcos plenos com aberturas circulares entre eles na parte superior.

Erguidos para trazer a água das nascentes do Rio Carioca até o chafariz do Largo da Carioca, a fim de abastecer a população da cidade, os Arcos da Lapa tiveram a primeira estrutura feita com canos de ferro, mas logo trocada por pedra e cal, para evitar a corrosão. Desde 1896, o antigo aqueduto serve como via para o bondinho de Santa Teresa.