Imóveis

Aqwa Corporate, no Porto, começa a receber funcionários da Caixa

Edifício Aqwa Corporate terá 3 andares para funcionários da direção da Caixa, no Rio. Primeiros empregados do banco já estão no prédio

25 de agosto de 2020
O Aqwa Corporate já tem 80% de sua área contratada, com cerca de 6.000 postos de trabalho (foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Os primeiros funcionários da Caixa Econômica Federal começaram a ocupar nesta semana as novas instalações do banco no Aqwa Corporate, um dos mais modernos edifícios do Porto Maravilha.

Cerca de 40 pessoas, do primeiro grupo de 200, já estão circulando pelos 3 andares que a Caixa vai ocupar no prédio. Ao todo, até o final de setembro, chegarão 700 empregados das áreas da alta direção no Rio, o que inclui o gabinete do presidente Pedro Guimarães, quando está na cidade.

A chegada desses primeiros empregados da Caixa coincide com a volta gradual de parte dos funcionários das empresas que já estão no prédio. A maior parte ainda permanece em home office, devido às medidas de confinamento impostas pela pandemia do novo coronavírus.

Aqwa terá 6.000 pessoas

Para aqueles que já estão voltando aos escritórios, a direção do Aqwa adotou protocolos de segurança que incluem maior distanciamento entre os postos de trabalho, uso de máscaras obrigatório e álcool em gel em vários pontos. Cada empresa faz as adaptações do protocolo conforme suas próprias normas sanitárias.

Quando for possível ocupar todos os postos de trabalho atualmente previstos nos 21 andares do prédio, cerca de 6.000 pessoas trabalharão ali diariamente. Cerca de 80% de todas as áreas disponíveis do Aqwa já estão contratadas.

 


Leia Também:

Abram alas para o mico-leão-dourado

Restaurantes do Porto e Centro criam polo para superar a crise

Pier Mauá e mais empresas prorrogam ajuda a famílias


 

Isso inclui 550 pessoas da Fábrica de Startups, aceleradora de startups portuguesa que ocupa um andar do prédio; os 700 empregados nos escritórios de advocacia Licks Advogados, Tauil & Chequer e M.J. Alves e Burle, em dois andares; e os 600 postos de trabalho do coworking Studio, que ocupa um andar.

A Enel Brasil, maior distribuidora de energia do país, levará mais de 1.300  mil pessoas para quatro andares, enquanto a seguradora Icatu anunciou que 1.600 trabalhadores passarão a ocupar cinco andares.

Novos negócios no entorno do Aqwa

Rilden Albuquerque, gerente de Desenvolvimento Econômico e Social da Cdurp (Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro), acredita que esse movimento de novas pessoas no Aqwa irá impulsionar o surgimento de outros negócios na região.

“Já estamos trabalhando a criação de oportunidades para atuais moradores e planejando ações para os futuros moradores”, afirma Rilden. “Só o Aqwa terá mais de 6 mil trabalhadores circulando neste trecho do Porto. O que isso representa de demanda em serviços e consequentemente em empregos já é bastante significativo.”