Após perder a Marcopolo, Governo do Rio se reúne com montadoras | Diário do Porto

Indústria

Após perder a Marcopolo, Governo do Rio se reúne com montadoras

Governo do Rio tenta evitar novo revés, depois que Ford anunciou encerramento no Brasil. Marcopolo fechou uma das fábricas mais tradicionais do Estado

16 de janeiro de 2021
Governo do Rio quer evitar novas demissões, como as ocorridas na Marcopolo de Xerém. Pequena parte dos empregados foi para outros Estados (foto: reprodução da Internet)

Compartilhe essa notícia:


A Ford informou neste mês o fim de suas fábricas no Brasil, deixando cerca de 5 mil pessoas desempregadas. Antes, em outubro passado, a Marcopolo fechou sua fábrica de ônibus, em Xerém, na Baixada Fluminense, desempregando pelo menos 800 trabalhadores. Tentando evitar novos impactos econômicos negativos, o Governo do Rio resolveu se reunir com as montadoras de veículos presentes no Estado. O Rio tem o segundo maior polo do país em número de indústrias automobilísticas.

O fechamento da Marcopolo significou o fim da produção de veículos numa das mais tradicionais fábricas do país. As instalações em Xerém foram criadas a partir de 1942 para a Fábrica Nacional de Motores, a Fenemê, inicialmente para a produção de motores de aviões e, depois, para os caminhões que marcaram a história da expansão do transporte rodoviário no Brasil.

A Marcopolo levou a produção dos ônibus de Xerém para suas outras fábricas, no Espírito Santo e Rio Grande do Sul, apesar de o Rio ser um dos principais compradores de ônibus no país e das vantagens logísticas da Baixada Fluminense, próxima de São Paulo e Minas Gerais. Na ocasião do fechamento, não se viram manifestações contrárias do Governo do Rio ou mobilização de lideranças empresariais fluminenses para a permanência da produção local. Pequena parte dos empregados de Xerém também foi realocada para as outras unidades da Marcopolo. Há 20 anos, a fábrica, hoje fechada, era considerada uma das maiores produtoras de ônibus do mundo.

Um ônibus escolar foi o último veículo produzido pela Marcopolo em Xerém, encerrando as atividades da unidade Foto: Reproduçãp

Um ônibus escolar foi o último veículo fabricado pela Marcopolo em Xerém (foto: reprodução da Internet)

Governo do Rio fez primeira reunião com a Jaguar

Agora, com a comoção nacional causada pela decisão da Ford, o Governo do Rio já fez a primeira reunião com uma montadora sediada no Estado. O encontro aconteceu na quarta-feira(13), entre o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Leonardo Soares, e executivos da inglesa Jaguar, que tem uma fábrica em Itatiaia, no sul do Estado.


LEIA TAMBÉM

Volkswagen, em Resende, prevê investir R$ 3 bilhões

Porto do Açu gera 5.000 empregos para nova termelétrica

FNM Rio de Janeiro lança caminhões elétricos


De acordo com o Governo do Rio, o objetivo da aproximação é entender até que ponto a decisão da Ford foi uma estratégia específica da empresa e até onde a definição se entende para as outras companhias.

“Vamos encontrar soluções comuns que atendam o Estado e montadoras. O fechamento de uma fábrica representa impactos sociais significativos, com a perda de empregos, diretos e indiretos. Além disso, tem como consequência a queda na arrecadação do Estado” explicou, LeonardoSoares.

Ao secretário, os executivos da Jaguar Land Rover sinalizaram a intenção de gerar mais 400 empregos diretos na fábrica. O Governo do Rio diz que a montadora avalia fazer novos investimentos no Estado, nos próximos anos.

As reuniões com representantes da Volkswagen, Renault-Nissan, Hyundai e Peugeot-Citroën estão previstas para as próximas semanas. Juntas, as montadoras são responsáveis por 8 mil empregos fluminenses.