ANPTrilhos lança “O Futuro da Mobilidade” | Diário do Porto


Mobilidade

ANPTrilhos lança “O Futuro da Mobilidade”

Documento da ANPTrilhos apresenta as premissas para o desenvolvimento de um transporte de massa estruturante e eficiente no pós-pandemia

11 de agosto de 2021

Presidente da Cdurp afirma que crise com o VLT e passado e proejta crescimento do modal (Cleomir Tavares /Diário do Rio)

Compartilhe essa notícia:


Pensando na retomada e como a vida terá que ser adaptada ao novo contexto mundial pós-pandemia, a Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), com o apoio da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o Conselho Nacional de Secretários de Transportes (Consetrans) e o Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Mobilidade Urbana, lançou hoje o documento “O Futuro da Mobilidade – A contribuição do transporte público sobre trilhos para uma nova mobilidade urbana”, que apresenta as diretrizes para a reformulação do transporte público brasileiro. O lançamento foi realizado nesta 4ª feira (11/08), por transmissão ao vivo pela internet.

“O modelo de trabalho não deverá ser mais o mesmo, pois a experiência do trabalho remoto está se mostrando vantajosa para as empresas e para as pessoas.  Diante deste cenário, o transporte público foi fortemente impactado e não recebeu auxílio governamental. Então, é necessário que os governantes se atentem à importância do planejamento adequado e integrado do transporte para otimizar a rede de atendimento, extinguir as sobreposições de linhas e garantir o financiamento do transporte público, que precisa continuar operando, mesmo sem os mesmos índices de demanda de antes da pandemia”, explicou Joubert Flores, Presidente do Conselho da ANPTrilhos.

A proposta do documento é apresentar ideias e soluções para que gestores públicos e privados avaliem as medidas adequadas de mobilidade às diferentes realidades das cidades brasileiras. São oito premissas fundamentais para o desenvolvimento do transporte público: promover o planejamento de longo prazo;, priorizar o transporte estruturante e sua integração; eliminar a sobreposição entre modos; financiamento do transporte público coletivo pelo transporte individual; instrumentos de financiamento de situações de emergência; financiamento de gratuidades; maior colaboração e cooperação do Poder Público com o setor de transportes públicos em emergências e gestão centralizada para toda a Região Metropolitana.

Após o lançamento do documento, a Diretora Executiva da ANPTrilhos, Roberta Marchesi, conduziu um debate com a participação de autoridades e especialistas que enfatizaram a necessidade de ações para o financiamento do transporte.


LEIA TAMBÉM:

Águas do Rio assina contrato com governo do Estado

As mudanças que esperamos para o pós-pandemia

Casa Villarino reabre sob direção do Senac RJ


Difícil equação déficit x receita

A Chefe de Gabinete da Secretaria Executiva do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Glaucia Maia, explicou que o setor de transporte acumula déficits há anos, que é provável que a redução de demanda se mantenha e é necessário olhar para as alternativas de receita. Ela destacou que o MDR está atuando para não paralisar as obras em andamento e que é importante olhar para o planejamento.

O documento o “O Futuro da Mobilidade – A contribuição do transporte público sobre trilhos para uma nova mobilidade urbana” e a gravação da transmissão do evento estão disponíveis em: www.anptrilhos.org.br/futuro-mobilidade


/