Quinto Andar: aluguel no Rio volta a valores pré-Covid | Diário do Porto


Negócios

Quinto Andar: aluguel no Rio volta a valores pré-Covid

Levantamento da plataforma Quinto Andar indica que maioria dos bairros recuperou os valores de antes da pandemia. Confira os valores do m2 em 14 áreas do Rio

11 de abril de 2022

Bairros como Grajaú, e Méier estão entre os que mais subiram índices (Deposit Photos)

Compartilhe essa notícia:


O valor do aluguel por metro quadrado na maioria dos bairros do Rio de Janeiro já supera o patamar anterior à pandemia da Covid-19. Leblon, Recreio, Jardim Oceânico, Ipanema, Barra da Tijuca e Méier são alguns dos bairros em que isso está acontecendo. O levantamento é do Quinto Andar, uma das maiores plataformas de moradia da América Latina. 

A análise compara a média do preço do metro quadrado de aluguel dos três últimos meses (janeiro, fevereiro e março de 22) com a registrada no primeiro trimestre de 2020, antes do início da pandemia. O levantamento foi realizado a partir da base do Índice Quinto Andar de Aluguel, indicador mensal que utiliza valores definidos em contrato.

O aluguel por metro quadrado em 14 dos 23 bairros monitorados pelo Índice já superou o patamar de 2020, o equivalente a 60% das localidades da cidade. Estão espalhados majoritariamente pela Zona Oeste, indicando que ainda não há um efeito homogêneo na cidade. 

O valor do aluguel foi afetado em quase todos os bairros durante os meses iniciais da pandemia em 2020. O tamanho do impacto e o tempo de recuperação, porém, são bastante distintos. Áreas com maior procura, como Copacabana e Botafogo, por exemplo, ainda estão distantes da retomada dos preços do aluguel. Já bairros como Méier, Engenho Novo e Grajaú, na Zona Norte, apresentam valores já recuperados, segundo o Quinto Andar. 

Melhor momento

Segundo o Índice Quinto Andar de Aluguel, o mercado imobiliário carioca vive seu melhor momento, registrando em março a maior alta mensal do preço do metro quadrado do aluguel desde junho de 2019. Segundo o indicador, a alta foi de 2,69% em comparação com outubro, atingindo a média de R$ 32,41 por metro quadrado. 

Foi o sétimo mês consecutivo de alta, reforçando o cenário de aquecimento do mercado imobiliário na capital.  O valor representa o maior da série histórica do indicador. Até então, o maior preço negociado havia sido registrado em junho de 2019, quando o preço médio atingiu R$ 32,35.  Em 12 meses, o valor médio do metro quadrado subiu 8,76%. 

 


LEIA TAMBÉM:

Prédio da Cury projetado pela Cité terá ‘metrô particular’

Tudo sobre a Casa Bloco, na Casa França-Brasil

Maracanãzinho recebe Disney On Ice em junho


Entre os principais fatores para o recorde registrado pelo Quinto Andar estão a alta temporada de procura de aluguéis e a busca por studios e imóveis de um dormitório, resultado da retomada da atividade econômica e da volta, em boa medida, ao trabalho presencial. A alta no preço dos apartamentos de dois e três dormitórios também favoreceram o cenário. 

Veja a lista completa de bairros onde o preço do metro quadrado do aluguel, já é maior que o registrado antes da pandemia:

BairroPré-Pandemia

Média R$/m²

(jan-fev-mar20)

Atual

Média R$/m²

(jan-fev-mar22)

Variação (%)
Recreio20.1028.1139.9%
Barra da Tijuca28.4036.3127.9%
Jardim Oceânico32.2939.7923.2%
Pechincha15.6318.8520.6%
Barra da Tijuca – Marapendi25.6730.8020.0%
Taquara16.1819.3619.7%
Jacarepaguá25.0629.7018.5%
Ipanema47.6455.2115.9%
Freguesia 18.1120.6514.0%
Meier14.6816.1710.1%
Leblon49.9853.106.2%
Grajaú19.0720.256.2%
Engenho Novo13.4214.226.0%
Flamengo35.0836.895.2%

 


/