Alerj prepara abertura da nova sede, no Banerjão | Diário do Porto


Imóveis

Alerj prepara abertura da nova sede, no Banerjão

Nova sede da Alerj, na rua da Ajuda, no Centro, será ocupada pelos deputados em agosto, após o recesso parlamentar. Atual sede será o Museu da Democracia

23 de junho de 2021

Nova sede da Alerj reanimou comércio do Buraco do Lume (reprodução/internet)

Compartilhe essa notícia:


A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) prepara para agosto, após o recesso parlamentar, a sessão de inauguração de sua nova sede, no número 5 da rua da Ajuda, no Centro, local que já foi a antiga administração do Banerj.

Depois de 3 anos de obras e com custo de cerca de R$ 161 milhões, a nova sede da Alerj terá inovações como uma estação própria de tratamento de resíduos, com capacidade de produção de até 500 mil litros de água de reuso por dia. Essa água irá abastecer o sistema de ar condicionado dos 31 andares do prédio.

O diretor-geral da Alerj, Vagner Wicter, explica que a transferência da Alerj e a sua nova localização obedeceram a estudos que levaram em consideração os menores custos e os maiores impactos positivos. Até agora, o trabalho dos deputados estaduais demandava a ocupação de 3 prédios, pois além do histórico Palácio Tiradentes, a Alerj também ocupa um prédio na Rua da Alfândega e um anexo na Praça XV. Com a integração dos 70 gabinetes e de todos os 5 mil funcionários num mesmo lugar, haverá maior economia de recursos e mais condições para a integração e modernização dos trabalhos.

Alerj funciona hoje em prédios sem licenças dos Bombeiros

Os atuais prédios da Alerj estão ultrapassados e não atendem às exigências de segurança do Corpo de Bombeiros. Segundo Victer, a opção por reformá-los teria um custo muito mais alto do que o realizado para a modernização do prédio do Banerj, também conhecido como Banerjão, que pertence ao Estado e estava vazio.

Mesmo assim, o Palácio Tiradentes passará por obras, mas para sediar o futuro Museu da Democracia, no qual haverá destaque para a restauração do velho plenário. O prédio da Rua da Alfândega será ocupado pelo Rio Previdência. Já o anexo da Praça XV será devolvido ao Governo do Estado e ainda não tem uma destinação, havendo inclusive quem defenda que seja demolido, por não ter harmonia com os demais prédios antigos das imediações.

O novo prédio da Alerj conta com 3 subsolos, além dos 31 andares. Cada um dos gabinetes dos 70 deputados terá cerca de 100 m². Em um dos subsolos, onde ficava o cofre do banco, jornalistas poderão trabalhar em uma sala anexa ao novo plenário.


LEIA TAMBÉM:

Presidente da Alerj vê riscos no Santos Dumont

Centro do Rio reage. Bar Luiz e Rio Scenarium estão de volta

Sesc RJ na Estrada exibe o charme da vila de Secretário, em Petrópolis


/