Alerj e Prefeitura fazem Live em defesa do Galeão | Diário do Porto

Política

Alerj e Prefeitura fazem Live em defesa do Galeão

Live, com Ceciliano e Paes, lança Frente de Defesa do Galeão contra iniciativas do ministro Tarcísio de Freitas, que pretende concorrer ao governo paulista

5 de outubro de 2021


Galeão tem Frente de Defesa lançada por André Ceciliano e Eduardo Paes (foto: Agência Brasil / Tânia Rêgo)


Compartilhe essa notícia:


A Frente de Defesa do Aeroporto do Galeão será lançada nesta quarta-feira, 6/10, às 19h em Live que vai reunir o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano, e o prefeito Eduardo Paes. Os dois são contra os movimentos do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que pretende privatizar o aeroporto Santos Dumont até março e depois se desincompatibilizar do cargo e concorrer ao governo paulista, conforme noticiou o jornal Folha de S. Paulo. Para acompanhar a Live basta acessar https://www.youtube.com/user/AlerjTV

Paes e Ceciliano lideram uma reação para alterar o modelo de privatização defendido pelo ministro, que permite o aumento de frequências de voos nacionais e até abre a possibilidade para voos internacionais no Santos Dumont, o que fortalecerá a concorrência com o Galeão e impedirá a formação de um hub aéreo internacional no Rio de Janeiro. Caso isso ocorra, haverá prejuízo para toda a economia fluminense, consolidando o Rio como alimentador de aeroportos internacionais em outros Estados, principalmente o de Cumbica, em São Paulo.

A RIOGaleão, concessionária do Galeão controlada pela empresa Changi, de Singapura, informou ao Diário do Porto que está buscando fortalecer sua estrutura acionária, o que significa a busca de novos sócios. A comunicação veio depois que o jornal O Globo informou, no domingo, que a Changi pretenderia vender a concessão.

Agora o mesmo jornal diz que a concessionária estaria interessada em assumir também o Santos Dumont, o que resultaria numa concentração de mercado também nociva aos interesses da economia do Estado. Porém essa versão parece atender mais aos interesses do Ministério da Infraestrutura, que assim veria diminuir as resistências ao seu modelo de privatização. A Changi dificilmente teria interesse em ampliar suas operações no Brasil, depois de ver frustrados seus investimentos no Galeão ao longo dos anos.

Galeão interessa à China

A empresa de Singapura, em 2017, chegou a negociar a venda da concessão para a empresa chinesa HNA, o que não se consolidou por não haver a autorização do governo da China à operação. Na época, chegou-se a noticiar que os chineses voltariam, no futuro, a tentar a compra do Galeão, pois já estão presentes em vários aeroportos pelo mundo e teriam interesse em controlar a operação no Rio.

O governador do Rio, Cláudio Castro, também tem tomado iniciativas para fortalecer o Galeão, como a recente diminuição para 7% da alíquota do ICMS do querosene de aviação, após rápida aprovação na Alerj. Porém faltam ao Governo do Estado e à Prefeitura iniciativas mais diretas que tornem o aeroporto internacional mais atrativo, como o recapeamento e o incremento na iluminação da Linha Vermelha, bem como aumentar os efetivos de segurança no trajeto e combater a expansão de construções irregulares.


LEIA TAMBÉM:

Changi busca sócio para o Galeão e a China tem interesse

Praia do Sossego, em Niterói, recebe certificado Bandeira Azul

Gargalos para projetos de energia no Estado do Rio de Janeiro