Alerj e HEMORIO realizam campanha de doação de sangue | Diário do Porto


Solidariedade

Alerj e HEMORIO realizam campanha de doação de sangue

Pela primeira vez, Alerj e HEMORIO se unem para promover campanha de doação sangue na sede da Assembleia. Estoques caíram 30% na pandemia

30 de novembro de 2021

Alerj e HEMORIO fazem primeira campanha conjunta de doação de sangue (HEMORIO/Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), em parceria com o Instituto Estadual de Hematologia do Rio (HEMORIO), realiza, nesta terça-feira, das 10h às 15h, campanha de doação de sangue aberta ao público externo e aos servidores. A ação vai ocorrer na Galeria do Plenário da sede da Rua da Ajuda 5, no Centro do Rio. A pandemia de covid-19 provocou uma queda de 30% nos estoques dos bancos de sangue. Por isso, é importante mobilizar a sociedade para esse gesto. Cada doador pode salvar até quatro vidas, segundo informa o instituto.

“Esta é a primeira vez que a Alerj faz essa parceria com o Hemorio, cedendo espaço o posto de coleta de doação de sangue. Um dos nossos objetivos é destacar a responsabilidade social de nossos servidores, que está sempre disponíveis para as grandes causas. Precisamos nos sensibilizar e doar sangue de forma regular e voluntária, pois a doação de sangue é um ato de solidariedade e salva vidas”, afirma a diretora do Departamento Médico da Alerj, Camila Ribeiro da Silva.

Para atender à demanda dos pacientes no estado do Rio, é necessário obter pelo menos 300 bolsas de sangue por dia. A média atual é de 210. Segundo o Hemorio, apenas 25% dos doadores são considerados inaptos durante a triagem.

Para doar é preciso ter entre 16 e 69 anos e pesar mais de 50 kg. Não estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes. Além disso, é necessário apresentar documento oficial com foto e menores de 18 anos só podem doar com consentimento formal dos responsáveis. Mulheres grávidas ou amamentando também estão proibidas de doar sangue. Tatuagens e piercings também impedem a pessoa de doar pelo período de um ano.


LEIA TAMBÉM:

Indústria projeta quintuplicar consumo de gás no RJ até 2030

Reforma da Orla Conde começa em dezembro

Mostra de artista indígena chega ao Porto


Vacinas e doação de sangue

Pessoas que tiveram covid-19 ficam inaptas por 30 dias após a cura. Quem teve a forma grave da doença fica inapto por até um ano. O prazo é o mesmo para quem chega de viagens internacionais. Já em relação às vacinas da Pfizer e AstraZeneca, a doação pode ser feita após sete dias, enquanto para o imunizante da CoronaVac o intervalo é de 48h, mesmo período para aqueles que foram vacinados contra a gripe. Para mais esclarecimentos, ligue: Disque Sangue no 0800 282 0708.

 

 

 


/