Alerj debate hub de gás natural na Baixada | Diário do Porto


Petróleo e Gás

Alerj debate hub de gás natural na Baixada

Com apresentação de Wagner Vícter, Alerj promove painel virtual sobre projeto para criação de um hub de desenvolvimento de gás natural na Baixada Fluminense

5 de agosto de 2021

Porto de Itaguaí tem papel estratégico no hub de gás da Baixada (foto: Agência Brasil)

Compartilhe essa notícia:


A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), por meio de seu Fórum de Desenvolvimento Estratégico e de sua Comissão de Tributação, Controle da Arrecadação Estadual e de Fiscalização dos Tributos Estaduais, irá realizar, nesta sexta-feira (06/08), às 10h, um painel virtual sobre um projeto conceitual para a criação de um hub de desenvolvimento de gás natural na Baixada Fluminense. A proposta será esclarecida pelo diretor-geral da Alerj e ex-secretário estadual de Energia, Indústria Naval e Petróleo, o engenheiro Wagner Victer. O encontro será mediado pelo presidente da Comissão Tributação, deputado Luiz Paulo (Cidadania), e será transmitido pela TV Alerj, em seu canal do YouTube e nos canais 10.2 UHF Digital e 12 da operadora de TV a cabo NET.

Victer explicou que o projeto se origina em um gasoduto marítimo chamado Rota 4b, partindo do Campo de Bacalhau, na Bacia de Santos. Por terra, a produção de gás segue por Itaguaí, na Baixada Fluminense, criando a oportunidade de incremento da oferta em pelo menos 20 milhões de metros³ diários de gás, em associação com o porto de Itaguaí, na Baía de Sepetiba, e com o Arco Rodoviário Metropolitano.

Para dar um “gás” na Baixada

“Esse é o projeto mais importante da década para o estado do Rio de Janeiro. Ele pode alavancar o desenvolvimento econômico de toda a Baixada Fluminense, permitindo a construção de diversos empreendimentos industriais, com reflexos positivos até na questão ambiental da região. Ao se discutir a construção desta nova rota para Itaguaí, em vez de outros locais da Região Sudeste, é fundamental compreender as vantagens incomparáveis que a Baixada tem para o Rio de Janeiro. É uma das regiões com maior concentração populacional e que hoje infelizmente possui elevado nível de desemprego”, comentou Wagner Victer. (foto abaixo/divulgação)

Também participarão do debate o secretário estadual Desenvolvimento Econômico, Vinícius Farah; a ex-diretora da ANPe integrante da Assessoria Fiscal da Alerj, Magda Chambriard; a presidente da Naturgy, empresa de serviços de gás natural, Kátia Repsold, e o presidente da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado (Agenersa), Rafael Augusto Penna Franca.


LEIA TAMBÉM:

Projeto Social deixará a Praça Tiradentes

Fórum apresenta projetos para Baía de Guanabara

Porto em Maricá terá investimento de R$ 12,8 bilhões