Águas do Rio investirá R$ 1,2 bilhão em comunidades | Diário do Porto


Saneamento

Águas do Rio investirá R$ 1,2 bilhão em comunidades

Presidente da Águas do Rio, Alexandre Bianchini, afirmou que áreas mais carentes terão atenção especial. Investimento em cinco anos será de R$ 7,2 bilhões

4 de novembro de 2021

Funcionários de comunidades contratados via programa "Vem com a Gente", da concessionária Águas do Rio (divulgação/Águas do Rio)

Compartilhe essa notícia:


No podcast “Desenrola, Rio”, de Edimilson Ávila no portal G1, o presidente da Águas Rio, Alexandre Bianchini, afirmou que criou uma diretoria específica para cuidar do problema de falta de água em comunidades e áreas irregulares do Rio de Janeiro

“Nós já criamos uma diretoria específica para comunidades. Nós estamos dando uma atenção exclusiva às comunidades. Dentro do contrato nós temos a obrigação de investir R$ 1,2 bilhão em comunidades e áreas irregulares do Rio de Janeiro”, disse Bianchini.

Segundo ele, a empresa conta atualmente com quatro mil profissionais, mas pretende chegar a cinco mil até o final do ano. Desse total, três mil serão contratados em comunidades do estado. A empresa também planeja ampliar a tarifa social. Segundo ele, hoje, menos de 1% da população tem acesso ao desconto.

“O contrato prevê que nós temos que chegar a 5% da população com tarifa social. Em nossos estudos já estamos nos aproximando de 10%. Nós vamos ultrapassar o que é previsto em contrato porque entendemos que somos uma empresa privada, mas prestamos um serviço público”, disse.

Águas do Rio atua em 27 cidades e 124 bairros do Rio

A Águas do Rio iniciou a distribuição hídrica em 27 cidades do Estado e 124 bairros da capital na última segunda-feira. A concessionária anunciou ainda a realização de obras em 100 pontos para normalizar o fornecimento em áreas com problemas.

Bianchini afirmou que a empresa prevê um investimento de R$ 7,2 bilhões em cinco anos, que inclui a recuperação de estruturas da Cedae, como estações de tratamento de água e extensões de rede e elevatórias.

Até assumir a distribuição, técnicos da empresa acompanharam os trabalhos da Cedae em uma operação assistida. A concessionária venceu dois blocos (1 e 4) do leilão que aconteceu em abril deste ano.

Segundo Bianchini, os consumidores não terão alterações na cobrança de tarifa e poderão perceber melhoras no fornecimento já no curto prazo.


LEIA TAMBÉM:

Peça “O Dragão” estreia no Armazém da Utopia

Correios fecham agências no Rio mesmo com lucro de R$ 1,5 bi

Festival IluminaRio 2021 faz Praça Mauá brilhar


/