Agora vai? Roda gigante remarcada para novembro | Diário do Porto

Turismo

Agora vai? Roda gigante remarcada para novembro

Rio Star deve render no mínimo R$ 2,4 milhões à Prefeitura em cada ano de concessão. Donos da atração já administram o Trem do Corcovado e o AquaRio

29 de maio de 2019
Projeção da roda gigante Rio Star, que deve ser finalizada em novembro (foto divulgação)

Compartilhe essa notícia:


O início do funcionamento da Rio Star, a roda gigante do Porto Maravilha havia sido previsto para o fim do ano passado, depois foi adiado para o próximo mês de julho e, agora, tem nova data: novembro deste ano.

Finalmente começam a ficar visíveis as obras para a construção da Rio Star. Quando estiver pronta, será uma roda gigante de 88 metros de altura e 54 cabines climatizadas, para 8 passageiros em cada uma. O projeto foi inspirado na London Eye, inaugurada em 1 de janeiro de 2000 e um dos principais pontos turísticos da capital da Inglaterra.

Os ingressos ficarão abaixo de R$ 50, conforme promete a empresa que ganhou a licitação promovida pela Prefeitura do Rio, em abril de 2018. A roda foi projetada para levar 432 pessoas por volta completa de 15 minutos, com capacidade para até 20 mil pessoas em cada dia, segundo a concessionária.

Pelo contrato, assinado em agosto passado, a Arc Big Eye Parques Temáticos e Diversão Ltda deve pagar à Prefeitura R$ 200 mil por mês, ou 5% da renda bruta, valendo o que for maior. Isso deve levar para os cofres municipais no mínimo R$ 2,4 milhões em cada um dos anos de vigência.


LEIA MAIS:

Turismo: trade do Rio articula com o Legislativo

Patrimônios do Rio recebem R$ 3 milhões em doações internacionais

Estrela do Rio, a roda-gigante do Porto, finalmente vai sair do papel


A construção, em um terreno de 2.500 metros, fica na Avenida Rodrigues Alves 455, entre o AquaRio e o Edifício Aqwa Corporate, na boca do Túnel Marcello Alencar. A área reservada para a roda gigante é parte de uma grande desapropriação feita para a construção da Via Binário do Porto e do Boulevard Olímpico, hoje Orla Conde.

As peças da roda gigante estão sendo importadas da China pela empresa concessionária, cujos sócios acumulam experiência em turismo e entretenimento: estão à frente de projetos bem sucedidos no país como Snowland (RS), Trem do Corcovado (RJ) e o AquaRio (RJ).

A Cdurp (Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro), da Prefeitura, responsável pela gestão do Porto Maravilha, comemora os 70 empregos diretos que serão gerados pelo empreendimento e acredita que a Rio Star será indutora de novos negócios na região, como bares e restaurantes.